quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Será que você...


...ainda pensa?

Vasculhando uns arquivos na minha memória, descobri que minha caixa de lembranças se parece mais com um cartório cheio de poeira e documentos antigos, inacessados e cheio de histórias, do que com um desses diários pessoas que a pessoa leva por toda sua vida.E no meio dessas histórias me veio você.Exatamente como te conheci, resmungando baixo e pelos cantos, talvez acreditasse ser um menino mau.Eu não acreditei.E logo em seguida me veio teu sorriso tão singelo e desconsertante que se você tivesse me visto aposto que riria de mim.Não sei por que me veio você na cabeça, justo nesses momentos em que você começa rir sozinha no meio do caminho de volta à casa.Talvez antes de me ver sua imagem em mente eu tenha te sentido de alguma forma, assim como te senti naquele dia.Depois daquele dia sei lá...Era em você que eu pensava, era com você que eu inventava histórias de viagens, acampamentos, sóis e chuvas enquanto você talvez nem soubesse que eu existisse.Tempos depois resolvi parar de de assistir de longe e resolvi chegar perto e chamar sua atenção nem que fosse com sinais de fogo.Inventei que sabia seu nome, que conhecia um amigo seu só para poder estar mais perto.Você ficou sem graça e riu, como quem tentava disfarçar, fingir que não estava percebendo minha tentativa fail de aproximação.Mas foi daquela conversa que surgiu várias outras até que nos beijamos.Entre um videogame e outro, nos beijamos.Taí, o motivo e o exato momento do beijo eu não me lembro.Me lembro depois do nosso jeito sem graça de lidar com a situação, um tentando fugir do olhar do outro e buscando outra coisa para ocupar o vazio que ficou com a nossa timidez.
Não sei por que estou te enviando tudo isso, eu juro que não pensava em você, nem lembrava.Mas ontem quando me veio aquela imagem daquele primeiro olhar meu para você, não resisti.Nossa memória é afetiva, hoje eu sei como.Guardei você em algum lugar bem escondido para talvez, não ficar lembrando toda hora de como foi bom e de quanto foi finito.Por mais, que eu saiba que foi bom enquanto durou e seja eternamente grata por esses momentos, eu simplesmente não consigo olhar para trás e saber que podíamos ter ido mais longe, sabe?Desculpa aparecer depois de tantos anos e te dizer tudo isso mas...Você lembra?Você pensa em mim?Na gente?No que passou?Desculpa, se parecer que quero aquele tempo de volta, mas eu queria saber como nossa pequena história te marcou, se é que marcou.Você nunca teve curiosidade em saber se eu pensava em você?Se eu guardei algo de tudo aquilo?Para mim, parece-me plausível eu vir aqui e te questionar tudo isso só para desafogar meu coração.Seja sincero, direto e educado.Se não quiser responder, não responda mas se quiser faça-o com carinho.Por mais que as respostas sejam "não", eu gostaria de ser respeitada mesmo parecendo maluquice vir aqui e revirar essa história.Me desculpe, mas foi essa história quem me revirou.Como nossa amizade-quase-romance virou pó assim do nada?Não deixou rastros nem uma poeirinha se quer na sua caixa de memórias?
Sei lá...Não é nem que tenha me dado saudade, eu queria mesmo saber o que você guardou de tudo isso, para quem sabe agora, no futuro, consigamos ser outros que não aqueles que por uma bobagem qualquer se desviou do único caminho que nos mantia juntos.Mesmo que agora queiramos continuar separados.

2 comentários:

  1. Já me senti como em alguns trechos e já quis fazer algumas dessas perguntas a algumas pessoas ♥ que bonito!

    ResponderExcluir
  2. Bárbara, querida, passei só pra agradecer. Não, AGRADECER, em caps lock. Muito obrigada, viu? Você não faz ideia de como palavras como as suas, sempre tão sinceras, me deixam feliz, me dão vontade de sair por aí escrevendo e não parar nunca mais. Primeiro no "a moça do sonho" e agora no "amor em três tempos", MUITO OBRIGADA! Sério!
    Sei lá, se um dia eu escrever um livro vai ter o teu nome nos agradecimentos! haha

    bjs (:

    ResponderExcluir

Vai, deixe sua pegada por aqui.;)