quinta-feira, 29 de março de 2012

Foi assim.

Foi assim, assim que que se foi: sentou chorou, chorou e sorriu.Não se pode segurar aquilo que não quer ficar.Se chama amor, não prisioneiro.Não se prende aquilo que quer partir.Às vezes os sonhos são maiores que os sentimentos e vice-versa.Falar de si é como falar do outro só que do lado de dentro, sabe?Junto das víceras, dos pensamentos, das emoções.É daí que se conta uma boa história sobre si mesmo.Ou não.Talvez seja melhor que outro conte, afinal é um tanto quanto triste falar da perda do seu próprio amor.Segura, vai.Respira.É assim mesmo, ás vezes o goleiro pega, às vezes batemos para fora, parece-me que agora bateste na trave e você vai ver que daqui a pouco a bola entra.Perceba que a vida não é bola parada, não é feita de penaults, mas sim de jogo corrido de torcidas vibrantes, de juízes comprados, de força de vontade, de sáude mental e de espírito.Sabe... Eu te conto um segredo se me devolver a confiança contando um seu...Tá...Tá bom se não quiser não me conte nada! Mas preciso confiar isso a alguém:Sabe a menina com o balão?Era assim que eu estava até perceber que o vento soprava mais do que podia fazer força para detê-lo, não ele não queria ir embora mas foi.Teve de ir.Sabe quando o balão simplesmente se vai?É assim que estou.O mais triste não é olhar para fora e ver o que falta, mas sim olhar para dentro e ver o que restou.Estive tão perto sabe...Tão perto de mim, depois tão perto do amor e agora não tenho nada.Maldita hora que achei que daria certo!E de repente ele simplesmente se vai.Como pode?Como pude?
E a menina que não sabia nada sobre amar, chegou tão perto tão perto mas não conseguiu de novo.E o balão se foi.É. Foi assim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vai, deixe sua pegada por aqui.;)