sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Cara nova?

Uma mudança no cabelo, um sorriso mais sincero.
Uma lágrima menos doída, uma palavra menos áspera.
Já fui revoltada, calada, implicante, impaciente.
E agora?
Pois é, mais um ano novo de novo.
Encarar o espelho e pensar: e agora, quem sou?

Serei?Fui?Ou simplesmente...ser?
Me vejo de uma forma atemporal, simplesmente sou.
Tudo que fui faz parte de mim ainda, não exatamente da mesma maneira ou com a mesma intensidade.
Quem frequenta aqui já sabe:Verões, outonos, invernos e primaveras tudo de uma só vez.
Mas um detalhe: Não necessariamente no mesmo instante, mas sim na mesma pessoa.

Sou romantica -para alguns espanto, mas sabe até que sou meio romântica mesmo-,
sou realista, sou sincera, mas detesto inconveniência!
Sinceridade na medida certa é o que procuro sempre.
Talvez seja engraçada, talvez infantil.Às vezes madura de mais, às vezes imatura de mais.
Sabe o tipo de pessoa que pensa de mais na vida, faz e refaz passos para ser uma mulher de verdade (respeitado meus valores e princípios) ao mesmo tempo em que assiste seriados pré-adolescentes americanizados?
Pois é, sou eu.
É eu sei de toda essa influencia e abuso Estadunidense não só sobre o Brasil mas sobre todo o mundo, mas eu gosto, oras.

Contradição.
Penso que se houvesse uma palavra para chamar de minha talvez fosse essa.
Eu tenho tudo para entrar em colapso, se eu fosse duas pessoas talvez elas se destestariam.
Ou quem sabe se amariam loucamente justamente pelas diferenças.

A arte faz parte da minha alma, do meu coração, mas gostaria que fizesse mais parte da minha vida.
O teatro, a música, a pintura, a fotografia, a escrita...
Me dão leveza, bem-estar, sabe?

Outro dia entendi o gosto de viajar.O sabor...o prazer...
Não é pelo lugar em si, é muito mais pela estrada.
A sensação de se estar em 'lugar nenhum' sem enxergar ao certo o destino,a chegada.
A ideia  de cantar alto, cabelos ao vento rindo com alguém, ou sozinha mesmo.
Dão o tom!
Mudam o sentido do verbo "viajar".
Viajar sozinha...Ta aí é um sonho!
Pegar uma estrada sozinha bem cena de filme mesmo, sabe?

Não sei se percebeu mas tenho uma forte caracterista de falar muito, de abrir diálogo sabe?
Não sei se percebeu mas o que começou como uma reflexão introspectiva provocou uma interlocução, nem que seja eu mesma falando sozinha mais uma vez.
Mas necessito de abrir um diálogo.E ai, percebes agora?

Tenho algo muito forte de independência, de saber ficar sozinha.
E como eu gosto de ficar sozinha, não tanto quanto gosto de estar com aquele que amo, mas gosto.
Que dizer...
Não é uma questão de mais ou menos, são coisas diferentes mas que me fazem muito bem, obrigada.
Acho que nasci com uma lição aprendida, aquela que diz:
"Gostar-se em primeiro lugar, se não consegue ficar em sua própria companhia como acha que outro conseguiria?"

Pausa.
É!
Chega de falar, de querer dizer...de querer que aconteça...
Chega dessa sede quase-que-constante de vida, de cor, de luz.
Sinceramente, eu não me entendo .
Eu vivo...vivo...vivo.E vivo na vontade de viver ainda mais.
Complicado?Talvez...

Opa!
Me desculpa, só agora percebi quanto tempo passou...
Desculpa mas há mais urgência em viver o que sou, do que em escrevê-lo.
A vida me espera e minha alma também.
Pensando bem...Acho que não!
Entrei numa fase mais calma e tranquila, não tanta ansiedade...sabe?
Tá...Tá...Chega!
Não quero te confundir mais, não é que eu seja exatamente confusa mas é que...
Sei lá!Minha simplicidade poucos entendem mesmo.
Bem-vindo ao clube.

Clarice Lispector já sabia:
"E se me achar esquisita, respeite também. Até eu fui obrigada a me respeitar."


Ps.:Reescrevi algumas coisas para tentar melhorar a qualidade, e ai o que acharam??

2 comentários:

  1. tudo que fomos sempre vai fazer parte da gente. não tem jeito. mas precisamos respeitar essas partes nossas. cada uma delas. sempre. pra ter respeito, é preciso se respeitar primeiro.

    ResponderExcluir
  2. Nesses momentos vemos a profundidade
    das pessoas.
    Adorei o texto, bem meu jeito

    ResponderExcluir

Vai, deixe sua pegada por aqui.;)