quarta-feira, 27 de julho de 2011

Leve.


Tudo de mais espontâneo.Um sorriso que não se cansa de aparecer, ainda séria o guardo no canto da boca- sempre.Em meio ao silêncio não há nada mais bonito, nada supera.Nada me prende mais do que o silêncio, o nossos silêncio , bem pontuado, bem pontual mesmo sem hora pra chegar parece estar sempre na hora certa.Palavras não ditas pairam do seu olhar para o meu, e por mais que eu insista em ouvi-las eu sei que no fundo não importa.Oralizadas ou não transparecem ali naquele aparente vazio e estão sempre aqui dentro traduzidas em sentimentos, na sua mais sincera forma.E repentinamente algumas delas surgem, meio sem nexo e até repetitivas mas sempre gostosas de serem ouvidas.Sabe...é por essas e outras que a gente fica assim...Feliz.E não é algo superficial, com medo de que a qualquer momento venha uma tempestade e leve esses bons ventos para longe.E muito menos é aquela felicidade que prende, que nos instiga a controlar tudo para que nada saia do lugar.Essa minha felicidade vem na sua forma mais pura, vem tão leve que quando eu percebo já estou rindo sozinha.Já estou sentindo os detalhes da vida que antes eu só observava e por mais detalhista que fosse e quisésse valorizar as coisas simples da vida, tudo muda quando passamos a experenciá-las.É outro entendimento, outra visão por que o que antes era ideia agora é sentimento vivo fazendo ainda mais sentido, tudo fica mais real, mais palpável.E é em meio a tudo isso que me encontro desde que te encontrei, melhor desde que decidimos nos reencontrar sobre uma nova perspectivaRrepensando talvez eu não tenha dito tudo até agora, acho que faltaram algumas palavras ocultadas -como sempre, talvez sejam só as que importam: Eu te amo.


*Mereces um prêmio, pois você realmente conseguiu.

Um comentário:

Vai, deixe sua pegada por aqui.;)