terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Folhetim.

"Mas na manhã seguinte não conte até vinte, te afasta de mim.
Pois já não vales nada és página virada, descartada do meu folhetim."


Por que não querer nada eterno agora, não significa querer algo vazio, vulgar.Já disse e repito:Se for fulgás que vá e não leve nada de mim, mas se for algo a mais pode vir do jeito que for e ir como tiver que ser.

E será assim apartir de agora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vai, deixe sua pegada por aqui.;)