terça-feira, 8 de junho de 2010

A elegância do conteúdo.

De ferramentas tecnológicas, qualquer um pode dispor, mas a cereja do bolo chama-se conteúdo. É o que todos buscam freneticamente: vossa majestade, o conteúdo.

Mas onde ele se esconde?

Dentro das pessoas. De algumas delas.

Fico me perguntando como é que vai ser daqui a um tempo, caso não se mantenha o já parco vínculo familiar com a literatura, caso não se dê mais valor a uma educação cultural, caso todos sigam se comunicando com abreviaturas e sem conseguir concluir um raciocínio. De geração para geração, diminui-se o acesso ao conhecimento histórico, artístico e filosófico. A overdose de informação faz parecer que sabemos tudo, o que é uma ilusão, sabemos muito pouco, e nossos filhos saberão menos ainda. Quem irá optar por ser professor não tendo local decente para trabalhar, nem salário condizente com o ofício, nem respeito suficiente por parte dos alunos? Os minimamente qualificados irão ganhar a vida de outra forma que não numa sala de aula. E sem uma orientação pedagógica de nível e sem informação de categoria, que realmente embase a formação de um ser humano, só o que restará é a vulgaridade e a superficialidade, que já reinam, aliás.

Sei que é uma visão catastrofista e que sempre haverá uma elite intelectual, mas o que deveríamos buscar é justamente a ampliação dessa elite para uma maioria intelectual. A palavra assusta, mas entenda-se como intelectual a atividade pensante, apenas isso, sem rebuscamento.

O fato é que nos tornamos uma sociedade muito irresponsável, que está falhando na transmissão de elegância. Pensar é elegante, ter conhecimento é elegante, ler é elegante, e essa elegância deveria estar ao alcance de qualquer pessoa. Outro dia conversava com um taxista que tinha uma ideia muito clara dos problemas do país, e que falava sobre isso num português correto e sem se valer de palavrões ou comentários grosseiros, e sim com argumentos e com tranquilidade, sem querer convencer a mim nem a ninguém sobre o que pensava, apenas estava dando sua opinião de forma cordial. Um sujeito educado, que dirigia de forma igualmente educada. Morri e reencarnei na Suíça, pensei.

Isso me fez lembrar de um livro excelente chamado A Elegância do Ouriço, de Muriel Barbery, que conta a história de uma zeladora de um prédio sofisticado de Paris. Ela, com sua aparência tosca e exercendo um trabalho depreciado, era mais inteligente e culta do que a maioria esnobe que morava no edifício a que servia. Mas, como temia perder o emprego caso demonstrasse sua erudição, oferecia aos patrões a ignorância que esperavam dela, inclusive falando errado de propósito, para que todos os inquilinos ficassem tranquilos - cada um no seu papel.

A personagem não só tinha uma mente elegante, como possuía também a elegância de não humilhar seus "superiores", que nada mais eram do que medíocres com dinheiro.

A economia do Brasil vai bem, dizem. Mas pouco valerá se formos uma nação de medíocres com dinheiro.


Martha Medeiros.


[Nesse feriado viajei, desculpem o sumiço.E obrigada pelos comentários.*__*

Responderei todos aos pouquinhos.Voltem seeeempre.=)) ]



2 comentários:

  1. Esse é um dos meus livros favoritos, aliás.
    Se as pessoas não conhecem diferentes fatos, teorias, opiniões, paradigmas (de fontes confiáveis), elas não tem capacidade de processar as informações que recebem e de formular sua própria opinião. Para pensar (coisas que prestem), são necessários sim pré-requisitos. Acho que é isso que nosso mundo está deixando de entender.
    Mesmo grande parte da nossa "elite intelectual" está ficando viciosamente burra, pois sua opinião é baseada em extrapolações de casos particulares para o todo, preconceitos, visões unilaterais construídas sem fundamentação. Além disso, outra grande parte dela não tem o menor intuito de aplicar seu conhecimento para fazer do mundo um lugar melhor, e sim, simplesmente para obter ganhos pessoais.
    Esse mesmo livro tem uma frase genial, dito pela personagem Paloma: "A inteligência não deve ser um fim, e sim um meio" (ou algo parecido). Acho que isso diz tudo.
    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Martha Mederios é FODAAAAA!!!
    *------------*

    ResponderExcluir

Vai, deixe sua pegada por aqui.;)