domingo, 25 de abril de 2010

Entrelace( parte2)

Parte1

Passou-se uma semana e ela ainda não tinha esquecido dele, nem ele dela.
Os filhotes ainda viviam com ela, ainda não tinham coragem voar e seguir em frente.
Alissa pensava se tivesse sido real.E agoniada insistia em dizer que esperar o 'acaso' era burrice.
Isso ela dialogava sozinha, com seus botões, enquanto do outro lado da história Miguel agradecia por tudo que acontecera até aquele dia.Ele rezava, como de costume , pela graça de mais um dia e esperava que agora depois de longos sete dias algo pudesse acontecer, mas deixando sempre nas mãos de Deus.
Alissa entrava no banho quando Josué, seu irmãozinho, desmaiava de novo no chão da cozinha.Era a terceira vez em sete dias.Sua mãe desesperada desmarcou tudo para levá-lo ao médico.E com aquele clima carregado Alissa tinha de seguir o dia como outro qualquer, mesmo estando desolada com tudo que aconteceu.
Com o coração apertado seguiu com sua rotina.E ao chegar à casa, de volta da escola sentiu um silêncio estranho e foi logo a procura da mãe e do irmão.Quando a encontrou ela estava em estado de choque e se pai esatva pondo o menor para dormir.Havia um papel em suas mãos era um exame e ela precisava saber o resultado.Ao lê-lo e ouvir tudo que tinha para ser ouvido foi comprovado o pequeno tinha um problema cerebral, alguma síndrome ainda não identificada causada por falta de oxigenação do cérebro.A partir dali tudo mudou e era certo que mudaria ainda mais.
Descrente da vida e de um poder maior, se trancou no quarto onde estava seu irmão, com medo de que a qualquer momento ele pudesse partir.Rezar?Não...Ela não tinha forças nem fé suficiente.O que ela acreditava estar em suas mãos era apenas ficar ali com ele sendo tudo que sabia que devia ser para ele um dia, tentando ser o exemplo tentando ser tudo em um só momento.
Pegou no sono e acordou com ele brincando com seu cabelo.Não aguentou vê-lo ali como um criança alegre e comum e as lágrimas rolaram como se jamais fossem parar.Foi para seu quarto desabafou com os passarinhos e resolveu soltá-los com medo de que eles não pudessem viver a vida plenamente, assim como o medo que tinha por seu irmão.Os pequenos voaram pra perto meio desajeitados e acabaram voltando para Alissa.
Parecia que não podiam deixá-la sozinha em meio a tantas incertezas e medo.Aquele sentimento sem nome ia crescendo dentro dela e resolveu tomar um banho e sair.Não conseguia encarar a situação de frente e por um segundo se achou incapaz.Incapaz de ser o melhor para Josué e de ser firme para ele.Não aguentando mais esses pensamentos se arrumou as pressas e saiu.
Tico e teco, os filhotes, tinham voado para longe.Foram buscar Miguel, perguntaram aos outros pássaros quem sabe até as flores e ao vento e conseguiram encontrar a casa dele.Bateram com o bico na janela até conseguirem acorda-lo.Ele acordou olhou...olhou e não entendeu nada, mas mesmo assim sorriu com ar de alegria.E vendo a euforia e agitação dos pássaros ele entendeu como se uma mensagem tivesse tentando ser passada e pediu: 'Pai me ajude a entender o que se passa, faça com que eles consigam falar mais a minha língua e eu consiga compreender a deles.'De tanto insistirem e não dar em nada um deles voou de volta para casa.E em alguns minutos voltou com aquela pulseira de couro fininha com o símbolo da Paz, como ele podia se esquecer?E realmente ele a identificou na hora e lembrou quem eram os dois e foi atrás dele para encontra-la.Afinal algo deveria ser sério para terem ido buscá-lo.
Ao chegarem à casa não a encontraram mais, ela já havia partido, devia estar por aí remoendo as dificuldades da vida e sofrendo de mais por não acreditar em mais nada.E ainda assim ele quis encontrá-la e ele foi tentandor passar por onde ela poderia ter passado querendo chegar à algum outro lugar.
Em plena busca ele teve um inspiração, um feeling e o seguiu como quem segue descobrindo os caminhos do próprio coração.
A encontrou.A viu de costas e ao se aproximar via aquelas sapatilhas mexendo sem direção, só seu corpo quieto e calado falava de mais sobre o momento.E ele queria ajudá-la, e ele conseguiria ajudá-la?Eles não sabem ainda.E mesmo sem resposta ele se sentou ao lado dela e a segurou pela mão.Ela não podia acreditar que aquele entrelace viria acontecer de novo, não podia e não conseguia.E ao se virar para ele, ele, ao olhar para para as mãos juntas, diz sem sem ao menos mexer os lábios: Não se preocupe.Estou contigo agora.

7 comentários:

  1. É.. to evoluindo. rsrs na marra.
    Quero que ao menos uma daquelas pessoas continuem frequentando.
    Aproveita e ajuda. Me arrume pelo menos 1 seguidor fiel, além de você, é claro. Aaah... e ai de você se parar de aparecer por lá, não preciso de você U CARALHO !! rs

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que fooofo <3
    vai ter continuação?

    ResponderExcluir
  3. Amor, acabei de olhar teu texto. Sim, olhei. Não li ainda e nem sei se terei coragem de lê-lo em algum momento. A minha dica é: Arrume-o em mais partes.
    Quando eu vejo que um texto é assim tãaaaao grandão vai me dando uma preguiiiiça... UAEHAUEHAEAUH
    Prometo que leio o próximo!

    Beijo solitário.

    ResponderExcluir
  4. já vai-se fazer 2 anos e eu n esqueço dele..
    to com ele, agora, e sempre, corpor quieto e barulhento... ele me ajuda mesmo sem saber... É incrivel!
    ele eh toda minha vida.

    ResponderExcluir

Vai, deixe sua pegada por aqui.;)