quinta-feira, 11 de março de 2010

Procuramos indepencência.♪

Hoje com minha humilde experiência de vida, olho para trás e percebo o quanto meu conceito sobre independência mudou.Mas entendo também que eram compatíveis com minha idade e meus momentos.E posso dizer que hoje como nunca estou num processo mais intenso para adquirir minha independência.Já passei pela fase de aprender a andar sozinha, passei pela fase de auto-afirmação o que foi um pouco mais complicado.Passei pro fases mais simples e outras complicada que eu nem percebia que estava passando, e hoje consigo analisar um pouco melhor.
Quando fiz 18 anos( 20/12/09) eu nem percebi que caramba eu já sou maior de idade.oO
Pois é...Nada mudou.
Até eu precisar encarar o meu T.H.E para a faculdade que eu quero.Eu tive medo, insegurança mas era a minha vida e como meu pais sempre dizem: já está mais do que na hora de você tomar sua vida com suas próprias mãos.E foi o que eu fiz, com o incentivo do meu namorado e apoio dos meus pais eu fiz a prova.E desde então percebi o quanto eu tinha amadurecido com uma simples atitude, que pra mim teve um grande significado.Depois disso eu tive que aprender a cuidar de uma casa, de uma hora para outra, pois, meu pai trabalhando muito e minha mãe também a casa fica para mim e meus irmão, sendo eu a mais nova que fica mais tempo em casa.Eu não só aprendi a dar mais valor aos cuidados que minha mãe tinha com a casa, mas também aprendi o quanto eu mesma quero manter tudo direito.
Nesse ano eu vou ter que decidir ainda mais, vou trabalhar estudar num pré-vestibular fazer espanhol e teatro, coisas que são minhas que são para a minha vida.E não acho certo ter que alguém sair atrás disso por mim.Tudo isso não pelo décimo oitavo aniversário, mas sim porque a vida estava quase cansando de bater na minha porta.
Tentando conceitualizar o que é independência associo a facilmente a maturidade, mesmo sabendo que a vida é um eterno aprendizado o que nos faz de certa forma sermos sempre crianças.Sabendo que ser independente não é apenas fazer o que quiser, mas sim ter condições moral, emociona, até intelectual e financeira para optar.Sendo uma condição que se adquiri com o tempo.Não que nunca precisemos de alguém, pelo contrário também faz parte saber que precisar de alguém é normal e não fazer disso um alicerce que fará você se "encostar" em algo ou alguém.
E quero sinceramente, olhar para trás e ver que meus erros valeram a pena nem que seja por diversão.E que as lições aprendidas foram necessárias para construir meus princípios, valores, moral, para eu saber quem eu sou, e reconhecer minha função nesse mundo, que podem ser várias.
E reconhecer de verdade que me tornei independente, e o mais engraçado é que não será pela idade e sim pela experiência de vida que acompanha o tempo de cada um.
Enquanto isso eu continuo aqui construindo o meu futuro, aprendendo finalmente a tomar minha vidas pelas minhas mãos.E criar de acordo com minhas verdades, um mundo melhor, pelo menos o meu mundo melhor.E quem sabe assim conseguir ouvir lá no fundo da minha consciência: agora sim, independente!

3 comentários:

  1. Eu sou uma pessoa que não liga muito pro mundo, mas de um tempo para cá eu comecei a ir procurar o que fazer, começar a viver e não esperar que vivam para mim. Estou fazendo um curso que é o que eu quero para mim, e mas para frente vou fazer outro e assim começar a fazer tudo sozinha e não depender de ninguém. Acho que independencia vem com o tempo mesmo, cada um tem a sua e uns demoram muito para chegar, tem outros que acham que são apenas porque são maiores de idade. Mas, é bem mais complicado que isso. Amei o texto, adoro seu blog :D

    ResponderExcluir
  2. se começarmos a esperarque as pessos vivam a nossa função iremos morrer sem poder conhcer absolutamente nada

    ResponderExcluir
  3. Quero ser independente, mas sinceramente, tenho um pouco de medo de sê-lo! Lindo texto, beijos, Mel

    ResponderExcluir

Vai, deixe sua pegada por aqui.;)