segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

El miedo.

Tinha fogo nos pés que a fazia correr o mundo todo.
Tinha sonhos no coração que a faziam acreditar.
Tinha planos em mente que a faziam continuar.
Tinha liberdade na alma que a fazia feliz em qualquer lugar.
Tinha o medo nas mãos.

Medo.

Medo não combinava com ela.
O medo não deixava ela ser nada daquilo.
Aquilo era a essência, e ela ,hoje, é o medo.

É...medo.

Para ela o mundo estava distante de si.
Para ela viver era apenas existir e sonhar o que gostaria de estar vivendo.
No diário tinha escrito apenas:
Os dias passam devagar.
E passam mesmo,quando fica-se parada vendo os outros viverem.

Ainda aos 21,era só medo.
E em sua, agora, agenda continua aquela frase.
Pois é parece que o tempo parou por aqui.
Mas hoje ela sabe onde se libertar.
Em algum lugar da alma ela descobriu,
mas alguma coisa desse mundo ainda a faz hesitar.

Medo.

Por mim.

Leia ouvindo: Medo/miedo-Lenine & Julieta Venegas.

Para: Bloínquês.
Tema:os dias passam devagar.

E a sorte já foi lançada a muito tempo.\o/
(yn)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vai, deixe sua pegada por aqui.;)