quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Adeus.

Te confesso querido amigo...
Está na hora de partir.
Não foi fácil o que passei,
nem tudo que vivi.
Agora deixo contigo
a resposabilidade de seguir.

Vi a benção da vida,
e senti a dor cruel e incessante da morte.
Precensiei meu primeiro término,
mas tudo isso me deixou mais forte.

Te entrego uma moça renovada,
que só ela, eu e Deus sabemos o que viveu.
Hoje parece ter criado asas,
e sorrindo passou por tudo que sofreu.

Agora te espero de pé erguido,
sem deixar se abater.
Por que a vida não é de brincadeira.
É ver para crer.

Fecho olhos e posso sentir,
tantas coisas aconteceram enquanto estava aqui.
Te deixo em festa esse mundo,
e me despeço como de uma sonho profundo.


*Só postei para participar dessa Edição do Bloínquês.Queria muuuuito então está aí.E fiz um conversa do MEU 2010 e com próximo 2011.E a sorte está lançada de novo.=)

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Velha roupa colorida.

Você não sente, não vê mas eu não posso deixar de dizer meu amigo: que uma nova mudança em breve vai acontecer.♪

Penso em 2011 como o MEU ano.Há muito tempo não me sentia asism com tanta vontade de me realizar.Mas além de vontade, disposição sabe?Uma coragem que devia estra perdida em algum canto dos meus pensamentos bobos e auto-depreciativos.Mas fato é que estou de pé, de cabeça erguida e mais forte do que nunca.Faço lista imaginárias para rever minhas metas e meios de alcansá-las, nunca fiz isso com tanto querer, parece tudo tão diferente agora...Meu ano se concluirá com enrormes mudanças: vida, morte, términos e começo.Encaro cada dia como um começo e só assim não vou me sentir atônita porque eu acredito plenamente que o futuro já começou.O que aliás foi uma grande sacada essa música da Globo, seja lá que tenha a escrito deixo meus parabéns!Pois é uma letra perfeita, bem bolada ao meu ver.E para animar a virada de ano menciono a música de Belchior e é isso..
Aproveitem essa virada de ano e muita sorteeeee para 2011.
Cor e Luz á todos vocês sempreee.

=)))

domingo, 26 de dezembro de 2010

Novo rumo.


Com o passar do tempo o vento brigou com a correnteza, uma queria ir para um lado mas a correnteza leva o rio para o outro.E foi assim dessa maneira que nos vi.Éramos o rio e encontramos as nascentes, nos divimos, não fomos nós que quisémos foi o vento contrariando a correnteza.Hoje estou aqui refletindo sobre algo que nunca pensei viver, talvez um dia eles façam as pazes mas por enquanto vamos ver aonde vai dar e deixar nas mão de Deus.


quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Ao redor.

Sentada no chão pensava nas responsabilidades da vida: no muito trabalho e pouco dinheiro, muitos seguidores no orkut e twitter mas poucos amigos para lhe atender e apoiar.Sua mãe ligando toda hora para ver se está bem mas olhava a sua volta e se via sozinha, se sentia sozinha.Seus irmãos?Foram cada uma para um canto e seu pai trabalhando como sempre, tinha sempre de haver tempo para os outros logo menos tempo para os de casa.Tinha 20 e poucos anos e estava ali no auge da sua liberdade e da desilusão.Era fim de tarde e resolveu ir caminhar na praia, afinal era a única coisa barata que podia fazê-la sair de casa naquele momento.Sentou na areia e chorou , por dentro, se sentiu num profundo abismo entre tudo que sempre quis ter e a ilusão de como se sentiria.Mas de fato, não conseguia chorar, parecia até um colapso de depressão daqueles secos, que eclodem sem ninguém ver quando percebe-se está assim como ela.Perdida e solitária.Foi quando subitamente parou de sentir a si mesma para sentir o mundo, sentir toda energia que estava presente.Olhando ao redor foi se sentindo menor, foi se sentido uma peça dentro de uma quebra-cabeça complexo feito de vidas, cores, sim sim energias...de todo o tipo.O vento soprando, a onda batendo, o sol indo embora e um menino a correr.Pois é, no meio de sua quase meditação apareceu um menino, e passou a orbservá-lo e viu tamanha surpresa dele perante as coisas do mundo. Tinha sede de aprender, de sentir, o toque na areia, a água geladinha tudo era motivo para sorrir, ou não gostar, mas era tudo muito novo e ele parecia entusiasmado com esse mundo nosso.E ela se sentiu impotente diante a tantas forças maiores, como a própria vida.E deixou se levar pedindo força e equilibrio para viver melhor, não queria conquistar tudo por conquistar.Tinha um coração para seguir e tinha de ter maturidade para crescer.Fechou os olhos e repensou na sua vida:seu trabalho era estressante mas fazia o que gostava e no fundo no fundo valia a pena, seus amigos não eram ruins, só estavam se desencontrando de mais, sua mãe tentava e conseguia se manter presente mesmo com a distância de alguns quilômetros, seu pai...a esse tinha aprendido a viver de outra maneira mas sempre que pôde estava junto, seus irmãos?Não há distância maior que o afastamnento dos corações, o resto a gente se vira.Pronto, percebera que estava tudo em seu devido lugar, era ela que tinha se deixado ausente por alguns instantes.Descobrindo a força da vida, e o que ela tinha feito para si mesma sentiu-se renovada e mais leve, pronta para viver melhor a sua vida, viver melhor esse mundo tão grande, tão cheio de possibilidades.E bastava querer e não deixar desencantar-se pelas belezas do mundo como a rotina tinha lhe feito.
_Filho, vem logo já esta tarde!Pára de brincadeira...Deixa de bobagem, pára de mexer na água...Chega!Vamos para casa.
Mal sabia a tal mãe que dessa forma só iria cortar as asas do pequeno anjo, que crescendo com essa sede de viver poderia realmente voar.Como ela....Ela agora estava pronta para alçar vôo de novo.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

A sorrir...

..eu pretendo levar a vida.Pois, chorando eu vi a mocidade perdida.

Feche os olhos e pense em quantas vezes sorriu hoje, aquele sorriso de dentro para fora.Aquele que, quando está tudo errado e confuso, faz você se sentir mais leve.E então?Se foi um dia feliz, deve ter sido muitas vezes.Se foi um dia indiferente, deve ter sorrido por educação.Se foi aquele dia para esquecer deve ter sido poucas vezes ou nenhuma.E hoje em dia precisamos da leveza de um sorriso,precisamos da quebra do ciclo vicioso que é a rotina do estresse, da discórdia, da revolta.Precisamos para enfrentarmos as loucuras desse mundo cão.Para tentarmos pelo menos vivermos melhor no nosso próprio mundo, o que não percebemos é que nossas vidas influenciam muitas outras ao redor.Vamos propagar coisas boas, já que sabemos que coisa ruim vem a qualquer hora e para qualquer um.Então vamos nos preocupar e manter as coisas boas da vida, em buscarmos de alguma forma manter o prazer em viver.Nem que seja por um instante.





Ps.:Fiz um Tumblr!=))
Quem tiver um e souber mexer, por favor me ajude !!
Desde já agradeço, leitores amigos.=))

Ps².:Meu sobrinho está cada vez mais lindo( vai fazer 3meses dia 15/12)!!!Meu Deus do céu, esse sorriso não encanta e cativa qualquer um?Meu dia com um sorrisão desses acorda mais lindo e feliz!=)

Ps³.:Um ano e sete meses, com meu amor.As coisas estão seguindo um caminho melhor agora.E amor...aaaah esse não falta e aliás não pára de crescer.\o/ \o/

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Selooos.

Regra desse selo:

Falar 09 coisas sobre mim:

-Sou complicada( comigo mesma).
-Sou simples, com a vida.
-Sou às vezes, no fundo da solidão, dramática.
-Me desacostumo a andar de bicicleta fácil.
-Queria tocar violão e cantar lidamente.
-Quieria compor para alguém, num sonho beeeeeem distante para mim mesma.
-Tudo pode virar arte e tudo isso me atrai.
-Sou apaixonada pelas pessoas, e tudo que as cercam.
-Tenho medo do esquecimento, por mim e pelos outros.

Indicar o selo para 09 blogs:
-Aquele do dread.
- Fractions of my life.




Agora vamos a regra, que é uma só, indicar 10 blogs.

- Fractions of my life.
-
Aquele do Dread.
- Meu refúgio incerto.
- Secrets of a little girl.
- Pense!Questione!.
- Rebiiiscos.
- Meu compromisso com o mundo.
- Das coisas simples.
-Cheiro de chuva.
- Pérolas e coisas absurdas.

Recebi ambos da Tay .E como etsou meio sem criatividade ou paciência para meus loongos assuntos.Vou apenas postá-los direto.=))
É isso selo recebido, selo repassado.; )
Obrigada pelos selos e é isso.
Beijos.

=*

terça-feira, 30 de novembro de 2010

♪Somos quem podemos ser...



... Sonhos que podemos ter.

Um dia fiz tais coisas, conheci tais pessoas, sonhei tais sonhos, li tais livros, chorei tais lágrimas, viajei por tais lugar (ainda que só na imaginação) e no final de tudo tentei ser eu mesma.Mesmo metendo os pés pelas mãos e vendo o quanto eu errei por me esconder atrás de outras idéias, outros momentos, me escondedo confusa tentando firmar quem sou.Mas hoje estou aqui e sei que estou em eterna construção cada dia que passa, embusca de uma forma cada vez melhor minha, cada vez mais eu mesma, mais essência.Evoluir...Crescer...Evoluir...





Gostei da idéia da Diana Bruna e resolvi fazer um também.Podem repassar a idéia que vai ficra bem legal!É bom para conhecer melhor os blogueiros e tudo mais.=))
Fiz o meu para lembrar um pouco quem sou, quem quero ser e tudo que eu tive, inclusive pessoas.Fique quase uma mês em vir aqui..Passei por alguns probleminhas pessoais e o vestibular também!!Fiquei meio perdida, meio afastada daqui mas tentando voltar sempre.E de repente floresci de novo, reafirmando que eu não consigo viver longe daqui, sabe aquela história de porto seguro?De que uma coisa só é nossa quando ela voa e voa, mas sempre volta?É assim que eu me sinto com isso aqui, meu refúgio não-secreto.hehe
E espero que tenham gostado do último post (Não) foi meio "desabafo fantasioso".
Enfim é isso..Desculpem o sumiço.E estamos aí de novo!

Beijos.


Ps.: Se clicar na foto ela aumenta e dá para ler melhor a citação.O lugar é o Chlie(representado pela praia), e eu esqueci de colocar o beijo mas seriam todos cohm carino e respeito, e eu escrevi "choro" errado espero que não reparem por que foi meio "na correria".
Para fazer pode ter: Uma citação, um livro, um momento, um choro, um beijo, um amor, um lugar para ir, um sonho e um sorriso.
É isso.
=DD

Até mais!

sábado, 27 de novembro de 2010

Não.

Não há para onde ir.Não tem como fugir.Não há nada do outro lado.Não existe um novo mundo por trás da passagem.Não existe outra verdade, outro medo, outra vida.Não será possível vencer sem se render.Não será bom se entrarmos em guerra mais uma vez.Não, o caminho para a felicidade não vem de uma guerra de dor, sangue e horror.Não, guerra não é o mesmo que batalha, essa sim leva para frente sem destroçar corpos, mentes ou corações.Não há ato sem consequência, nem sonho sem ilusão.Não posso viver iludida , muito menos com coração na mão e a mente no estômago sendo digerida a cada instante.
Não há.Não existe.Não será.Não é.Não posso.
Não.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Tropa de Elite2




Assisti ontem a esse filme.
É muito bom sim, confesso que para quem tem noção de que o sistema é muito maior do que podemos imaginar e enxergar no dia-a-dia para esses o filme vai ser apenas o que se imagina ali retratado num filme.Mas para quem acha apenas que é todo mundo safado mesmo, mas nem sabem direito como essa 'safadeza' ocorre, para esses sim o filme pode impressionar e impactar, por que grande parte daquilo ali é verdade, inclusive os personagens ( o que eu acho mais interessante ainda).Com atuação impecável do Wagner Moura, e todo o resto do elenco, eu e mais um monte de brasileiros indicamos o segundo filme.
Contudo, não vim aqui para fazer propagando vim para mostrar a parte do depoimento do Capitão Nascimento no final do filme que eu acho sensacional e sintetiza tudo que o filme relata, e tudo que eu também me pergunto.
Ai segue:

_Quando meu filho tinha dez anos ele me perguntou porque que meu trabalho era matar.(...)E eu não sei responder a pergunta dele, tenho 21 anos de polícia e não sei responder porque eu matei, por quem eu matei.Mas uma coisa que eu posso afirmar com certeza senhores deputados, é que o policial não puxa esse gatilho sozinho (...) .

Desculpem-me se fui inconveniente em colocar esse diálogo aqui caso vocês ainda não tenham assistido, mas eu não pude me calar.Para mim uma das maiores indignações é essa que ele depôs.Enfim...Fica aqui para vocês pensarem, e compartilharem o que pensam.



Ps.: Na marcação "Compartilhando" geralmente tem coisas minhas, um pouco mais reais, ou músicas que gosto e fazem sentido no momento, ou nesse caso o filme que assisti,.O nome é só para dar ideia de estar compartilhando algo real meu com vocês.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Ausência


Aos céus,
Aí chegou mais um amigo, mais um anjo no dia 26/09/2010.Espero que façam seu melhor para acolhê-lo e ajudá-lo nessa fase tão desconhecida por nós vida terrena.E peço que de alguma forma essas palavras cheguem até ele:
"Me desculpe por me calar durante um tempo.Por deixar a vida nos afastar e até te tirar de mim, e de tanta gente assim tão de repente.Me desculpe mas eu ainda não acredito, não consigo.Todas as noites eu rezo por você, e peço por você.E sentada assistindo ao vídeo dos meus 15anos, não dá para acreditar!Tem coisas que fazemos e só valorizamos depois, e isso eu garanto pela festa e pelo vídeo, ter a lembrança em foto é muito bom mas na filmagem te ver ali com vida, sorrindo brincando..Isso é impagável!E quantas pessoas te admiravam e te gostavam assim como eu.Ficamos todos aqui faltando um pedaço, uma parte, um alguém.E não era amizade de meses não..Eram anos, 10 anos...Como pode?Como pôde?Sabe amigo, passamos por tantas coisas juntos, você esteve comigo em cada momento que só tenho a agradecer.E veja como é a vida mesmo não estando mais tão grudados, e unidos como já estivemos um dia, ainda sim sempre quis o teu melhor, no que eu pudesse te proteger e te cuidar eu fiz e faria tudo de novo se preciso fosse.Uma coisa que alivia meu coração é ver quanta pessoa boa e querida esteve ao seu lado quando eu não pude estar.A distância em vida, nos abalou um pouco mas você sabe que sempre te considerei como aquele amigo, exatamente aquele que compartilhou tanto comigo.E agora essa distância que vai muito além da física, além dos sentimentos e é estranho como agora penso que minha ligação com você pode ser direta.Apenas um pensamento mais elevado, uma oração mais profunda, e me sinto próxima de ti de novo.Uma coisa é certa, tem muita gente aqui cuidando de você aonde estiver.Sei que posso ser um pouco dramática quanto a nossa história, mas fato é que sua amizade nunca será apagada, esquecida, desconsiderada, jamais.Mas vou tentar me manter calma e equilibrada, para não acabar, sem querer, te perturbando com minhas aflições e angustia sobre tudo isso.Fica firme ai, com toda essa força e alegria que tinha de sobra, que aqui tem muita gente por você."-
E seja como for, sei que vocês estão cuidando dele, como nós aqui na terra já não podemos mais.E com todo meu coração peço luz para ele.Sei que tudo tem um motivo e o momento certo, e é nisso que eu confio até o fim.A justiça de vocês podem não ser bem vista e aceita aqui, mas não entendam como insulto é que nossos olhos ainda não enxergam como deveriam e o coração dói de mais.E mesmo tendo recaída em não acreditar e não entender, vou manter minha fé de pé até o fim.Por mim, por ele e por todos que sentiram com tudo isso, deixo aqui minha sinceras palavras.

Com respeito e fé, Bárbara.

domingo, 17 de outubro de 2010

Do coração.

Peço que não deixe nossas mão soltarem.E te asseguro que mesmo a minha sendo pequena e às vezes fraca, eu sempre vou fazer de tudo para que nunca seja preciso soltar.E eu sei que o medo, o nervosismo pode nos enfraquecer e fazê-las naturalmente se soltarem, mas pense no maior motivo para elas continuarem juntas, com nossos dedos entrelaçados representando nossas vidas, representando tudo sobre nós, sobre eu, você, nosso sentimento , a coragem e a vontade de estarmos juntos.

sábado, 9 de outubro de 2010

Cativeiro.



Jogada no chão, não sabia mais o que era vida ou morte.

Não sabia mais se ouvia passos ou se era apenas minha imaginação no auge da minha desconhecida falta de lucidez.Tudo que aconteceu naquele quarto, parecia que acontecia de novo e de novo.As palavras, os rostos, toda uma violência que eu não podia imaginar o quanto podia destruir uma pessoa.Como pode um ser criado para amar e viver, pode odiar tanto e ainda tirar a vida de alguém e se arrepender da própria?

Houve um disparo.Sim, agora me lembro eu estava sozinha amarrada ali naquela cadeira.Primeiro ouvi passos depois correria e um tiro seco no ar.

Um grito.Um pedido.Um comando.

Depois arrombaram a porta da casa e entraram no quarto falando como se me conhecessem. Falando coisas a meu respeito que não faziam sentido, e havia um olhar tão seco e gélido que eu tinha medo de encarar aqueles olhos tomados por uma fonte infindável de ruindade.

Estaria eu pagando por tudo que outras pessoas são?Por toda injustiça, preconceito, egocentrismo?Foi então que no meio do meu sofrimento que eu comecei a perceber o sofrimento do outro, justamente daqueles que me faziam sofrer.De repente, houve um silêncio, seguido por um resmungo completo por desabafos e pouco a pouco iam contando sua vidas e tudo que sofreram até ali, tudo por viverem no grande centro da cidade mas de forma subumana, exatamente aquele lado em que todo o centro vira de costas para não ver, sabe?Tendo uma subvida num mundo paralelo, aquele que é chutado e encaixotado afinal o melhor é longe das nossas vistas e da vista do resto do mundo, certo?Mas por que eu?Eu nunca participei disso, nunca fui a favor, nunca... nada!

Quando eu percebi que a fé não existia mais, eu levantei a cabeça e os encarei, fraca, frágil mas com uma determinação, com sede de justiça..Alguém tinha que pagar por isso..Por tudo!Por mim, por eles!!Foi então que eu chorei, que eu gritei, e rezei como se estivesse sozinha de novo.Pedi por mim e por eles, e ao abrir os olhos tinha uma atenção diferente para mim , me encaravam como um ser estranho não entendendo minha reação.Pois então me pus a desabafar tudo que queria, exatamente como queria, falei sobre minha revolta sobre o que eles passaram e sobre o que eu estava passando.Parecia que minhas palavras soavam como faca, que os cortavam e deixavam em carne viva os deixando tão expostos quanto eu.E quando me dei conta eles estavam de olhos fechados rezando.Foi quando me soltaram e me deixara ali, não entendi se era um pedido de desculpa, um arrependimento ou só tentando diminuir a situação.Saíram do quarto, me encontrei entre quatro paredes que tinham cheiro de amargura, angustia... dor.

Chorei, chorei e chorei. Até ficar vermelha com falta de ar me fazendo desacelerar as lágrimas, conseguindo assim ouvir os choros e palavras de arrependimento misturados com ainda ódio pela sociedade que os deram todas as condições de serem aquilo, e não eles não se orgulhavam disso, e depois do último grito de revolta contra si mesmos ouvi dois tiros, acho que eram os últimos.

Saí e vi os corpos no chão, pude sentir fisicamente minha vida indo junto com a deles.Não se trata mais de culpa, nem de razões , mas sim de vida, de olhar para o outro, se interessar pelo outro.Foi então que decidi me entregar junto.

Acabou para mim, não adianta um corpo sem vida, eu agora realmente entendo quando dizem que é melhor morrer do que perder a vida. A minha se foi, e espero que ao lerem isso sintam o estrago que fazem na vida das pessoas, chega de fazerem vítimas.Será que vai ser assim que vão aprender a fazer o certo,a realmente cuidar das pessoas, a dar condições de serem pessoas melhores e realmente considerá-las como tal?Eu paguei com a vida pelo erro de outros, espero que não seja mais preciso isso acontecer para que haja mudança.Aqui foram duas vítimas do sistema, mas segue outra vítima do caos que esse sistema trás.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Durma medo meu.





Me abraça.
Me cerca.
Me envolve como se fosse amor, paixão, fixação, não sei.
Me atormenta e descobre o piso falso do meu caminho.
Pisa com tudo me desmorona por inteira, ou quase.
Afinal a fé mantem-se de pé.
E depois disso tudo vai embora.
O dia acabou, o corpo padece.
E a alma chorando só quer descansar.
Já é hora de adormecer.
Durma medo meu.

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Democracia não é liberdade.






Pois é...Vocês vêem ai tantos partidos democratas que se dizem "a favor da liberdade" quando na realidade você só está escolhendo um número maior de pessoas para decidir, os em menor número ficarão sempre excluídos.Minha cunhada me disse uma vez que a democracia é a ditadura da maioria, e não é que é verdade?Mas claro que é muito melhor do que uma ditadura na mão de poucos.E quanto a esse país que se diz tão democrata levanta a bandeira para exercer seu "direito de cidadão" que é a obrigatoriedade de votar.Direito?Pera ai se fosse direito não seria obrigatório, a liberdade da democracia nos obriga a votar...Contraditório, não?Pois é...Eles pregam por uma coisa que não vivemos, que não nos deixam viver, é por isso que tem tantos votos em brancos e nulos!O que aliás eu não acho nada de mais.Não sabe em quem votar...não tem noção sobre nada de política, não quer nem pensar nisso?Ok.Deixa o voto de lado, que pelo menos você não está indo na maioria, só pela maioria, muito menos votando "só por obrigação".Mas se você opta pelo voto em branco, exatamente por ter uma noção bem clara,ou acha que não faz diferença pois a maioria- injustamente enganada- vai decidir por você,ou por saber que é tudo uma sujeira só... Aí eu já acho um tiro no pé.Pois se você que tem uma noção boa, uma visão de mundo melhor vai fazer questão de deixar na mão daqueles que só enxergam os rostos sorridentes na Tv e o populismo batendo a sua porta?Continuo respeitando, até porque eu não me acho segura para votar em certos cargos, eu sei que: ou eu me informo mais, ou eu deixo em branco, deixo essa missão para "quem se garante".Mas eu sei que quando estiver mais experiente, vou fazer questão de me manter sempre mais informada, para justamente votar no menos pior, por que eu sozinha posso até não mudar o meu estado, meu país, mas mostro, com um voto conciente, que não estou cega, me fazendo de boba, muito menos vendida por quaqlquer previlégiozinho.Estou bem atenta, vou votar e vou cobrar. Aliás...Acho uma vergonha isso de vender seu voto.Essa postura, de uma parte significativa dos brasileiros (acredito até que maioria, mas não vou pegar pesdao), de vender voto, por pequenos previlégios só mostra que aquela frase(que eu não gosto) tem razão: O povo merce o governo que tem. O que mostra que população e governo estão interligados como num círculo vicioso, o governo deveria ser o exemplo mas se corrompe, a sociedade está acostumada coma corrupção e vive numa situação difícil graças a corrução dos outros(políticos) e se sujeita a ser corrompida até para ter uma vida melhor (repare que não disse digna) e se deixa corrpomper também, e ficamos nisso.Um culpando o outro o outro culpando um.Mas na verdade, quase sempre,não importa de quem é a culpa, mas sim, quem vai mudar, quem vai se propor a resolver.Sim nós ainda somos poucos politizados, com pouca informação e cultura( digo isso para o Brasil inteiro sem restrição), mas já estamos bem melhor do que a duas décadas atrás por exemplo.Você acessando a internet , seja em casa ou numa Lan House, você tem acesso a informações diferentes de pessoas com cabeças diferentes e formas diferentes de atingir ao público.E é através de uma seleção de idéias, que você vai construindo a sua própria, então eu acredito que se quisermos realmente mudar esse jogo comecemos por nós mesmos.Vamos nos interessar até mesmo pra poder lutar e buscar um futuro melhor.Não vamos cair nessa de ficar sentado simplesmente falando: até parece que meu voto faz diferença.-Quem tem esse pensamento é o mesmo de quem pensa: Porque não jogar o lixo de qualquer jeito no mundo?Até parece que vai ser o meu lixo que vai estragar o planeta.
Acontece que, caro pensante, é esse mesmo pensamento que fica na mente de várias pesoas e o que poderia ser apenas um, torna-se uma centena, um mil, um milhão...Será que não percebe que quanto mais gente lutando junto, fica mais fácil de ganhar?Não quero um mundo lindo não...Só quero um mundo mais justo, com governantes e principalmente pessoas mais justas.
Por que do contrário...Vou ficar acreditando que a democracia é liberdade só para não me preocupar e viver sorrindo por uma ilusão.É liberdade para aquele que tem dinheiro e tem acesso ao que quiser né?Porque para aquele que é colocado aonde não incomoda aonde não aparece e não reivindica, para essa gente liberdade é o que deve estar mais distante da realidade deles.A mulher saiu de casa e foi para empregos menos remunerados, os escravos se tornaram subempregados sem direitos ou continuaram escravizados mesmo, o negro saiu da senzala e foi para favela, e é isso ai que querem defender como liberdade?

Ps.:Desculpem qualquer coisa.É que sou a favor do voto conciente e não de um monte de números na pesquisa.Até por que não fomos nós, hoje, que aceitmos a lei da obrigatoriedade então pra mim não tem nada de mim, da minha geração, nada de povo nisso tudo, pode até ter sido um dia, mas agora não faz sentido.E se a obrigatoriedade fosse nos mantar mais informados São Paulo a cidade mais desenvolvida do país, a verdadeira metrópole brasileira, não teria eleito Clodovil (não por preconceito!) e Paulo Maluf para Deputados Estaduais.Então acho melhor anilisarem bem os fatos e como as coisas acontecem.Um pouco mais de realidade nos torna mais fortes, só não deixe ficar descrente.Contudo continuo a indagar: é isso ai que querem defender como liberdade?

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

De uma verdade invisível.

Sr. Plínio de Arruda Sampaio,
Eu não sei se não entende o quanto a educação e a cultura desse país está precária.E que falar que o Real está errado e que a economia também, está fora da noção de pelo menos 70% da população( chute meu, mas acredito estar bem real).Será que não percebe que teu discurso é forte e incisivo, mas não vai atingir a quem precisa ser atingido?Olha, tuas propostas são revolucionárias poderiam realmente fazer o Brasil virar o jogo, mas será que tens força o suficiente para mudar toda uma história política?Sinto lhe informar, mas o presidente é apenas quem dá a cara a tapa, mas quem realmente faz são os poderes legislativo, executivo, judiciários todos juntos e o senhor é uma pequena peça executiva.
Não adianta estar cheio de vontade e ideias, mas não ter apoio dentro do seu próprio país, inclusive fora dele.Na situação em que estamos se alguma revolução ideológica acontecesse em todo o país, ainda sim não conseguiria de fato, mudar a sua postura, a sua visão (como Estado, não como nação) .Por isso tudo candidato, peço que use seus discursos para tentar esclarecer e não para falar um monte de coisas totalmente fora do alcance da população.Sei que você sente que não vai ganhar, mas não adote essa postura de simplesmente insistir na mesma ideia e abordá-la da mesma forma.Aproveite essa oportunidade, em que muitos olhos estão te observando e busque formas de ser ouvido, pois agora pode não funcionar mas você pode ganhar, sim, espaço para ser cada vez mais ouvido e apoiado e quem sabe num outro momento ser eleito?Mesmo que não seja a presidência, mas só em estar no meio já faria diferença.
Na verdade sabe o que é mesmo?É que eu preciso votar e tenho que aprender agora sobre as "políticas da vida" queria poder contar com o senhor...Mas é difícil sabendo que vai estar lá sozinho e propondo uma postura que soará como um afrontamento a outros países, saindo da nossa "Zona pacífica" da qual me orgulho tanto.Sei que devemos levantar a cabeça para perder essa face de medo, que parecemos ter ao enfrentar nossas idéias e nossos problemas.Mas eu não posso fechar os olhos para esse tanto de gente que não enxerga de verdade nossa realidade, nossos problemas, muito menos enxergar as verdadeiras soluções.Mas esteja ciente que mesmo não permanecendo ao seu lado, vou tentar lutar pelo que eu vejo e acho melhor.Não quero ser uma utópica de contos de fadas, quero apenas saber que nosso país tem, sim, chances de mudar e lutar por isso.
Com todo respeito, Bárbara.

sábado, 18 de setembro de 2010

Ao mais novo mebro da família.


Meu subrinho, salomão Luiz, nasceu na última quarta-feira dia 15/09 às 17h35min medindo 48cm e pesando 3,750kg. Tudo isso porque é o primeiro avós de primeira viagem, pais de primeira viagem, tios de primeira viagem...É tudo tão lindo e diferente.E ele foi tão iluminado mas tão iluminado que junto dele veio um outro tipo de alegria.O menino trouxe uma pouco mais de esperança para o nosso Mengão, com a sua vinda ao mundo Flamengo quebra um jejum de 7 jogos sem vitória.E quebra daquele jeito flamenguista de ser, quebra na raça, quebra aos 49 do segundo tempo, como quem diz: estamos em campo então vamos jogar!
Como pode ser tão pequenino e tão lindo, mas trazer tantas grandes emoções?Agora são novos tempos, outros tempos.Tem mais um anjinho na terra e que já está fazendo muita diferença!Quanto ao Flamengo espero que eles saibam o que fazer com esse fio de esperança no ar.
;D

domingo, 12 de setembro de 2010

O caminhar.


"E Deus escrevendo certo pelas nossas linhas que se não fossem tão tortas, não teriam se cruzado."
Tati B.


Preciso dizer mais?

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Poetizando verdades.

Nos espelhos da vida,
vejo mundos diferentes.
Ás vezes beco sem saída,
muitas vezes gente usando gente.

Invadem tua casa,
destroem tua nação.
Depois como anjos sem asas,
te estendem a mão.

Onde tudo vale ouro,
é difícil acreditar
em que o verdadeiro tesouro
ninguém pode comprar.

Mantendo um foco otimista,
mas não de maneira ingênua.
Em algum lugar uma luz á vista,
diferindo sonho de utopia de forma tênua.

Chega de abaixar a cabeça,
dê valor aos seus ideias.
Não deixe que o sistema o enlouqueça,
saiba o valor das pessoas reais.


Ps.:Ganhei o segundo lugar da 23ª Edição Opinativa sobre "Pessoas legais moram longe".
Ps².:Os selos e prêmios que recebi estão na página: Devidamente selada.
=))

Beijos.
=**

sábado, 4 de setembro de 2010

Sóbria.


"I'm safe
Up high
Nothing can touch me
But why do I feel this party's over?"
Sober- Pink!

Sim, ainda sou aquela criança que olha a maquiagem e sapatos de salto e não sabe bem o que fazer.Aquela que olha a sua volta e ainda procura aqueles mesmos prazeres bobos e infantis, eu sei.Tem horas que pareço estar no futuro... adiantada, ou seja, uma velha chata.Mas na maior parte do tempo me sinto deslocada pela idade, pelas cobranças, pelo tempo que passou e eu nem vi, pelas escolhas que eu nunca sei se fiz o certo.E mesmo que esteja tudo bem, eu não sei se poderia ter sido melhor.Ás vezes tento recuperar o tempo perdido afinal somos tão jovens, mas também tento criar um novo caminho que incremente e liberte a pessoa que sou hoje, tentar me prender cada vez menos a quem eu fui um dia.Não que não me orgulhe ou que essa pessoa morrerá, não, não é isso.É apenas querer não parar no tempo é querer seguir a diante, conquistar novos desafios, talvez alguns antigos.Mas pensando sempre em seguir em frente e trazendo o que vier de bom, junto comigo.Ás vezes olho a minha volta e percebo que por mais que tenham coisas novas eu me sinto tão "antiga"...tão igual...Penso que aquilo que não desapego é uma forma de fortaleza contra o que possa desvirtuar ou corromper, apesar de que acho isso maduro de mais para serem minhas fraquezas.Talvez seja só uma fortaleza contra mim mesma.Contra o que pode vir fora das minhas expectativas e não saber lidar, contra crescer e me tornar menos humana...menos viva.
Pensando bem...
Acho que ao olhar no espelho, olho com olhos de menina, que camuflam toda essa metamorfose ambulante que sou e sempre serei, escondendo uma quase mulher.



"Estou segura
aqui em cima
Nada pode me atingir
Mas por que sinto que a festa acabou?"
(Tradução)

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Mãos a obra.

Pessoas legais moram longe...
E perto também!

O mundo é imenso e cheio de possibilidades tem sempre alguém em algum canto no mundo, ou no tempo, que faça você se sentir bem.Eu, por exemplo, tenho amigas a distância tanto física quanto temporal (amizade antiga que o tempo distanciou mas o coração faz questão de manter firme).
Se pensarmos nas variáveis personalidades, jeitos, gostos, culturas não é possível que seu círculo de afinidade se restrinja a sua vizinha de toda a vida.Quanto mais nos abrirmos para pessoas interessantes e amizades construtivas, mais elas virão e distância vai ser tornar um detalhe que ora vai entristecer ora vai incrementar.
As pessoas longe não são mais legais, só dão a impressão de serem mais raras, por não estarem ao alcance das mãos.Mas não deveria ser pela distância mas sim pelo seu valor, pense que uma amizade muito querida com uam amiga que mora muito longe tem outras amizades bem próximas é por isso que vai deixar de ser especial para essas pessoas?Percebo que a proximidade física faz com que nos acostumemos e tratemos o raro como banal, cotidiano.Mas os raros estarão sempre por ai, cada um a sua maneira.
Mas se for muito longe é só cultivar bem o sentimento e a amizade e ai mãos a obra.Com laços firmes e concretos a ponte estará construída, ai terão sempre como se encontrar.Assima distância será um problema menor ainda.


Agradeço aos meus amigos distantes que me ajudaram a vivenciar essa experiência de "amizade inteiramente a distância", em especial agradeço ao: Caio e Fran , meu queridos.*_*
E é isso aí, se houver distância mãos a obra!

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Abra seu coração.


Feche seus olhos.



Verdade seja dita, muitas vezes nosso coração sabe muito mais do que os olhos podem nos mostrar.

Ps.:Acho que agora a internet veio para ficar com mais tempo respondo tooooodos os comentários.=)
Espero que não tenham desistido de mim.=X

domingo, 15 de agosto de 2010

Desculpeeem-me!

Eu não abandonei nem quero abandonar o blog, nãoooo!
Sem internet faz duas semanas, sem conseguir nem entrar 1minuto no orkut, quem dirá postar e responder os comentários.=//
Quando eu resolver oproblema aqui da minha internet eu prometo um post decente e repsonder todos os comentários atrasados.
Espero compreensão da parte de vocês.
hehe'
Beijooos.
=**

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Além de mim...

"As palavras me antecedem e ultrapassam, elas me tentam e me modificam, e se não tomo cuidado será tarde demais: as coisas serão ditas sem eu as ter dito."
Clarice Lispector.




Clarice, realmente, me entenderia.

domingo, 25 de julho de 2010

--'


Ganhei o segundo lugar na 17ªEdição Opinativa do Bloínquês com o post "Aborte essa idéia", e nem posso atualizar isso aqui direito.
To sem internet, assim que estiver tudo bem eu posto direito!
[To no meu namorado, por isso entrei rapidinho para dar satisfação.]
Obrigada pelos comentários, pela força assim que puder respondo todos.
=)


Beijos!!

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Aborte essa idéia.


Aborto.
Já pesquisaram sobre o assunto?Sobre como é o procedimento, e com quanto tempo de gravidez se pode abortar?É inguenuidade falar de um ser que nem existe.OK, poucas mulheres procuram o aborto quanto feto nem se pode chamar de feto ainda, mas repito são poucas.E mesmo que seja bem no início, se há dentro seu ventre a semente de uma vida, pode até não ter um ser compelto mas você tem a semente, se você a mata tira também o direito da vida daquele futuro ser que naquele momento, só naquele momento, é diretamente dependente de você.

Hipocrisia.
Hipocrisia te todas as partes.Hipocrisia da Igreja que comete crimes, ou pecados como eles preferem, piores do que esse( na minha opinião).Hipocrisia de quem diz ser a favor por estar pensando nos mais pobres que não tem condição nem de ser criar sozinho quem dirá cuidar de outra pessoa.Vejo até graça nisso, como se a maioria das pessoas que engravidam de forma indesejada e não tem condição de cuidar, aceitassem o aborto.Hipocrisia de quem coloca machismo e feminismo no meio, pois para mim tem machismo em ambas as partes.Afinal não seria mais cômodo para os homens saírem transarem com quem quiser que se der algo "errado" elas tem a quem recorrer e o ato estaria simplesmente desfeito?Hipocrisia de quem diz "é a mulher que vai cuidar de tudo sozinha", se você estiver nessa situação sozinha, desde que não tenha sido um ato de violência, para mim significa que você não sabe com que se deita, então ao que parece, legalizado ou não, tal pessoa recorreria sem problemas ao ato, então para que se preocupar com isso?

Ingenuidade.
Ingenuidade de quem acha que a mortalidade de mulheres grávidas e fetos diminuiriam.E o crescimento populacional nas cidades bem interiores diminuiria também.Já pensaram na saúde pública, hoje.Pois é, se pessoas não são atendidas e se pessoas morrem nos corredores de hospitais públicos,diariamente, imagine com a legalização do aborto?Já pensou na quantidade de pessoas a procura nas cidades grandes?Leve essa legalização para o país inteiro, para os seus interiores e pensa mesmo que uma família com pouca instrução, fé forte e muitas vezes até manipuladas em função de tamanha fé, acha que essas pessoas aceitariam?É...Ingenuidade inclusive de achar que abortou e agora está tudo resolvido, mas fora os riscos da própria vida tem os mais importantes que são os psicológicos.Por mais decidida que a pessoa esteja ninguém nunca vai se sentir confortável e aliviada após tirar um filho.Não se iluda pois o peso da culpa e perda de um filho, ainda mais pela sua vontade, é muito maior do que qualquer prazer material.Ingenuidade até de não olhar para mulheres violentadas, aquelas que o filho teria o rosto de sua amargura, aquelas que não escolheram não se preparam nem se arriscaram a nada.Foram bruscamente corrompidas, por uma pessoa como pode ser qualquer um ou pode ser seu medo mais íntimo e próximo.Acho tortura de mais, esquecermos dessas, e acharmos que entre casos de aborto é tudo a mesma coisa.Ingenuidade também esquecer dos fetos mal formados, do risco da mãe e do próprio bebê, e então é tudo a mesma coisa?

Mulheres.
Nesse aspecto algumas de nós se acham tão independentes e auto-suficientes que acreditam piamente que abortar é uma decisão que cabe somente a ela.Sinto lhes informar mas se fosse assim não seria preciso um homem para dar chance a uma mulher de procriar a vida.Engraçado como nessas horas elas pensam só nelas.Não sei se alguém assistiu o filme Juno, filme esse que me surpreendeu muito pela forma abordada e pra mim aquilo é o retrato de quem soube o tempo inteiro que aquela vida não lhe pertencia.Já pararam para pensar na quantidade de mulheres que querem ter filhos e não podem?Não é melhor entregar a quem você sabe, que quer esse ser e que vai zelar por ele?Tem também a famosa desculpa do "ah esqueci", pense bem você não pode se dar ao luxo de esquecer um preservativo exatamente por mudar sua própria vida então você como mais interessada em se preservar, deve lembrar sim.Imagine se um médico esquece da parte de um procedimento cirúrgico na hora da cirurgia?Pessoas esquecem muitas coisas o tempo inteiro e cometem erros estúpidos não se sinta privilegiada por isso, tentando minimizar seu descuido.Agora essa conversinha de "oh meu Deus vai deformar o corpo", isso é conversa de quem não tem argumento e tem cabeça pequena de mais para enxergar além da sua preciosa silhueta.

Eu.
Contra.Contra a achar que aborto é resposta, é solução.Para mim, o aborto é apenas a sinalização de que tem muita coisa errada no país e na sociedade como um todo, não pelo ato de procurar pelo aborto mas nos motivos que possam levar uma pessoa a procurar esse procedimento.Dêem cultura e educação para todos, e depois me fale de que cada mulher tem opção.Como um mulher que mal entende a reprodução, efetivamente, vai ter noção de sua própria?Melhore a saúde pública, e depois vêem me falar de "diminuição de mortalidade".Contudo estou do lado daquelas corrompidas, e daqueles que estão em risco tanto mãe quanto bebê.Quando tudo estiver caminhando para o bem da sociedade, dando condições efetivas de uma pessoa optar, aí sim me fale de uma opção.
Por fim, vejo imoralidade da parte dos médicos que se submetem a abortos como postura egocêntrica da mulher.Isso por que em seu juramento oficial eles prometiam:

"Manterei o mais alto respeito pela vida humana, desde sua concepção. Mesmo sob ameaça, não usarei meu conhecimento médico em princípios contrários às leis da natureza. "

Mas agora virou festa mesmo,que até o juramento de Hipóctrates foi mudado.



*Escrevi muito mas separei em partes, para facilitar a leitura, assim é mais fácil ler apenas apartir do ponto de vista que se quer.Sei que canso, mas vocês sabem quem em alguns casos comigo não dá para me conter!hehe.
=)


**Odeio falar sobre aborto.Odeio por que são milhares de pontos que me fazem pensar muito e acabo me perdendo no meio disso tudo.Nem contei a parte econômica, porca e mais suja, bom para mim quando envolve dinheiro piora tudo.Mas me atrevi a falar exatamente como penso, até mesmo para não ter medo do assunto, nem das diversas opiniões.Respeito todas mas vejo muita ingenuidade e hipocrisia por aí.Toda essa polêmica me embrulha o estômago.Espero não ter embrulhado o de vocês também.=)

domingo, 18 de julho de 2010

Presa.


Era fácil ficar preso ali.
Era uma presa fácil.
Tempo e espaço não existiam mais.
Provara naquele instante que o tempo é realmente relativo.
Provou também, o gosto amargo das lembranças amarguradas e cheias de temor.
Aquelas que rezava toda a noite para esquecer, para voltar ao passado e desfazê-las.
Mas ele não o deixava em paz.
Nem a deixava em paz, pobre mente.
E toda a noite era a mesma tortura.
Pior que sonho, era a lembrança viva, eram os sons, era o toque.
Perdoe.
Que o perdão venha, pois acredita que só ele possa curar.
Só ele possa desfazer o sofrimento que ficou.
Por fim uma prece curta e precisa:
"Leve tudo de ruim que em mim ficou,que cada sensação fique presa num passado fantasioso.Que a dor da verdade seja substituída pela certeza de um novo futuro.A todos os novos dias que poderei me desfazer dos velhos.Amém."
E assim o fez.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

E agora, José?


_Acabou.
_Acabou?!
_É.Nossas brincadeiras não são tão divertidas mais, e olha eu ainda sou muito nova para manter um relacionamento assim, quero ainda brincar muito de boneca e minhas Barbies vão beijar ainda muitos Kens.Não posso ter um namorado e mal saber usar o banheirinho.
_Eu também não sei..Mas isso nunca foi um problema para mim.
_Mas...Ainda podemos ser amigos!-insistiu ela.
_Não.Me senti traído pelo seus artifícios de mulher.Vou pegar meus brinquedos e sofrer minha dor sozinho.
Minha mãe assistia a cena escondida atrás da porta, foi falar com a Clarinha que era melhor deixar pra lá e esperar o tempo passar.E quem disse que eu ia esquecer?4 anos e uma desilusão amorosa.Minha mãe nem sabia aonde eu tinha aprendido a falar essas palavras difíceis como "artifício", nem eu lembro ao certo, mas acho que usei certinho.
_Onde já se viu deixar um homem de guerra , por causa de bonecas e peniquinho.Mulheres agora só quando eu entender o que é puberdade.-Conversei com meus botões.
_Filho...
_Que é mãe?
_Olha-já disse entrando no meu quarto-Eu sei de tudo, mas presta atenção o amor é assim mesmo, são frágeis e pode acabar se perdendo ou quebrando, ainda mais quando se trata de um "namoro" de criança.Você ainda vai crescer e perceber que cada um tem seus motivos e quando isso acontecer você não vai mais sentir mágoa e quem sabe até reconstruir um laço de amizade?
Fiquei emburrado e abaixei a cabeça, só sei que 10minutos depois a Clarinha me ligou para irmos brincar na praça, nós mais os amigos da rua.É ...Acho que estou crescendo rápido de mais.

terça-feira, 13 de julho de 2010

Se o verdadeiro silêncio existe.
Que ele tenha o valor da sua honra,
o peso da intenção,
o sabor da coisa certa,
o alívio do momento perfeito
e certeza de que as palavras não seriam o melhor a fazer.
Do contrário, fale o quiser meus ouvidos só aceitam o que eu bem entender.

sábado, 10 de julho de 2010

Ebaaaaaaa!

Vim correndo só pra comemorar meu primeiro prêmio( de primeiro lugar) pela 16ªEdição Opinativa do Bloínquês cujo tema foi: A copa 2010 e não é nossa.
Em que escrevi o post " Aos guerreiros".



Estou muito feliz e agradecida, pois eu realmente não acreditava!Masss...Aconteceu!=DDD
Então é isso.
Quando estiver com mais calma venho postar algo diferente, para não perder o ritmo!
=))
Obrigada pelos comentários-apesar de ouvir opiniões adversas a minha.rss-, pelo carinho e pela força!
Com mais calma retribuirei a todos.=))
Beijos e voltem sempre!


quarta-feira, 7 de julho de 2010

Aos guerreiros.


Faltou o dunga na foto.Sim, o DUNGA!\o/
Se é para falar de futebol, vamos falar de futebol!
Toda vez que me lembro do jogo contra a Holanda, eu fico com muita raiva, meu coração fica apertado e desisto disso que chamamos de copa.
Nos três apitos finais engoli a seco um grito de vitória, as lágrimas contidas me fizeram rever todo meu conceito de copa, hoje.Não, eu não podia acreditar minha seleção que eu acreditei e confiei até o fim( como poucos brasileiros acreditaram de verdade na seleção dessa copa), seria eliminada ainda mais por um país que, ainda, pouco sabe de futebol!Não aguentaria nos ver desclassificados por uma seleção que só tem corrida, passes precisos e um pouco de sorte.Namoral EU também tenho, e nem por isso serei escalada para a seleção feminina de futebol.--'
E aquela arbitragem??O que foi aquilo???Um cartão que nem falta era!Dois penaults que ele não deu, fora as pequenas faltas que não dava para o Brasil mas dava faltas imaginárias para a Holanda.Para mim ele estava dizendo: "Holanda estou vendo que você não estão conseguindo, vou tentar ganhar tempo para vocês e atrapalhar o jogo deles."Jogar contra 12 em campo é sacanagem.--'
Ai...ai...É fácil falar do Dunga sendo que você está sentado num lugar aconchegante e se achando no direito de falar o que quiser enquanto ele está sob pressão de todos os brasileiros, que em sua grande maioria debocharam e desacreditaram do que ele é capaz.
Gosto muito dele, simplesmente por ter personalidade e opinião.Ele não tem obrigação de levar estrelinha, não tem obrigação de levar crianças que não vão aguentar a pressão da copa.É ilusão achar que jogador sabe lidar com qualquer tipo de pressão.Você jogar fora do seu país numa Champions League, por exemplo, você não está lidando com uma nação que você nem se identifica e nem tem um grande significado.Lá é uma pressão diferente, é maior é mais íntima.
Sei que é fácil perder o jogo, para quem antes perdeu a cabeça.Mas é muito fácil você se manter equilibrado e firme num jogo que pode significar muito para quem gosta de futebol mas para nação holandesa garanto que não chega perto do que a copa significa para nós.Lá eles têm tem "tudo", tem condição de vida, tem a sorte de estar numa bloco econômico privilegiado (não tanto agora com o reflexo da crise) tem grande parte da população com vida digna.E aqui o que podemos oferecer , instantaneamente, para crianças carentes é o esporte, é o futebol.É aquilo que sempre será nossa marca, nossa cara!O Brasil não é só isso, claro, mas grande parte do que conquistamos foi através do nosso futebol!Até quem não curte muito futebol acaba se deixando levar pela magia do momento, coisa que em muitos outros países não acontece.
É difícil vestir a camisa do Brasil, vejo que eles chegaram tímidos e ansiosos na Copa, começaram a se soltar e quando chegaram com tudo contra a Holanda tiverem um time que é uma farsa( pelas encenações em campo e pelas agressões), um juiz safado e o peso da camisa verde e amarela nos ombros.Sinto dizer, mas agora que Felipe Melo ficou famosinho pela pisada no Robben, todo mundo fala dele e o critica.Mas aquele pisão aliviou meu coração por tudo que estávamos passando, acabou que que fomos eliminados mas dizer que foi culpa dele ou que grande parte da culpa foi dele é exagero de mais! Se eu fosse o Felipe Melo e fosse expulso daquela maneira, ok foi anti esportista mas eles também foram muitas vezes e não ganhamos nem uma faltinha oO, eu voltaria e pisaria feio no tornozelo dele só para não poder jogar mais.
Violência não resolve nada, e a culpa depois ainda pesa e tortura mass... me sinto mal de mostrar esse lado mais explosivo, é sério.Mas futebol, ainda mais a minha seleção, é algo que me tira do sério!Mas tem vezes que uma violênciazianha pode sim nos alivar um pouco, e não sejamos hipócritas de não reconhecermos isso.A que ponto chegamos de precisarmos bater em alguém num jogo para nos sentir um pouco melhor?Medo dessa minha raiva toda.=X
Mas junto desse sentimento ruim, vem um dose extra de amor e de garra para a próxima copa.
Acreditar e confiar, mais e mais.Mesmo perdendo quero ver minha seleção sendo fiel a minha nação.E eu vi isso agora,e achei muito legal o Dunga ter feito os jogadores terem aprendido a cantar o hino inteiro e relembrar o valor de representar e honrar o seu país dessa maneira.
Faltou mais controle emocional, mas eu os entendo, se eu fico ansiosa nervosa só de assistir, imagine de ter a responsabilidade de orgulhar milhões de pessoas cada uma com um pensamento diferente?É de mais para mim.


Perdemos, fomos eliminados, mas é muito difícil jogar 11 contra 12 sendo que um deles tem grande poder sobre a partida.Mesmo assim entre alegrias e tristezas, eu fico com o orgulho de ser brasileira e de ter o melhor goleiro do mundo(cria do meu mengão, ok!?).Fico com a sede de vitória, fico com a esperança na Copa 2014.Fico com um coração que sempre bate em verde, amarelo, preto e vermelho(pelo Flamengo, é claro!)!E fico principalmente com o orgulho de ser patriota todos os dias, na alegria e na tristeza.

*Ps.:Acho que esse foi um dos pots mais sinceros.Sinceridade em termos de escrever extamente como saiu do coração e veio a mente chegando aos meus dedos.Pode ter ficado em tom de revolta, mas são palavras de um coração que ainda não aceitou que perdeu dessa forma mas ainda sonha com a merecida vitória, rumo ao hexa, ao hepta a tudo que temos direito!

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Querer.

Queria mais do que estrelas, mas menos do que o céu.
Queria mais do que sonhos, mas menos do que o impossível.
Queria mais do que o horizonte, mas menos que o infinito.
Queria mais que os desejos, mas menos do que as paixões.
Queria mais do que uma conversa, e menos do que intimidade.
Queria mais do que o amor, mas menos do que a ilusão.
Contudo ela ia além de suas vontades, o céu era o limite!
Mesmo que a lua e as estrelas estivesse presas no teto da própria barraca no seu quarto.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Quanto vale?


Há algum tempo venho me questionando, refletindo sozinha sobre a vida.Vida em geral desde tempo mal administrado até a biodiversidade ainda existente na Terra.Aí hoje, como sempre, encaro um aula de geografia intrigante e revoltante que me faz pensar mais ainda sobre 'quanto vale a vida'.Pois é eu sabia que um dia eu teria que escrever sobre isso, afinal tenho esse gadget que questiona exatamente isso e não podia ficar calda diante de uma pergunta tão intensa.Responde-la é difícil e meu objetivo não é esse quero apenas compartilhar minha discussão com vocês.
Não sei se é o estresse da vida urbana, desse mundo altamente globalizado e artifical em que vivemos, mas as pessoas tem perdido o respeito pelo outro, principalmente pela vida do outro.No caso de estresse ou imbecilidade extrema uma discussão no trânsito, um celular que não sirva nem para ser roubado, um ataque de ciúmes, tudo isso pode custar a vida de alguém.É impressão minha ou estamos cada vez mais nos importando com coisas menores?
Muito são capazes de pagar 'tantos mil reais' numa novo brinquedinho tecnológico, e são incapazes de doar 30minutos do seu tempo em prol de algo maior, algo que não seja si mesmos.E cuidar da própria saúde então?É como Dalai Lama disse: Os homens perdem saúde para ganhar dinheiro, e depois perdem dinheiro para recuperar a saúde.E não é verdade?Mas a troco de quê levamos nosso corpo e mente ao limite, até não aguentarmos mais?
E a natureza:o "mundo" das vidas frágeis, outras não tão frágeis, é a forma mais insignificante dos valores humanos.Se não fosse, nossos remédios seriam naturais, nossas florestas não seriam desmatadas nem para vender madeira nem para plantação de qualquer grão a ser exportado.Afinal perder fauna, flora e remédios por lucro é burrice.Até por que se pode fazer dinheiro sem precisar destruir, desrespeitar nem a natureza nem quem mora nessa terra.É um absurdo como descartam as pessoas quando se trata de lucro, poder.
Quando paro para pensar em tanta cultura escondida por esse Brasil a dentro, tanta sabedoria, tanta diversidade popular que poucas pessoas se dão ao trabalho de pesquisar, de conhecer, de valorizar.Enquanto a mídia foca o "Brasil em desenvolvimento" essas pessoas continuam esquecidas, vivas porém inexistente diante dos "olhos brasileiros".Pessoas todos os dias vivem e morrem no anonimato, e quem se importa?Só quem conhece a dor de não saber o paredeiro de um ente querido, é quem passa por isso par o resto vai ser insignificante.Eu me sinto horrível ao pensar que algum tipo de vida pode ser taxada como 'insignificante', é forte de mais. É como se não existe, não tivesse importância não tivesse valor.Como assim uma vida não ter valor?
Pois é...Antigamente as famílias eram enormes, os casais tinham muitos filhos em parte pela ignorância em outra até para trabalhar nas fazendas, afinal quanto mais gente trabalhando melhor a produtividade.E hoje em dia esse número vem cada vez mais diminuindo e a conciência, em parte, vem aumentando.Mas o grande fator dessa inversão é o preço que se paga, literalmente.Se pensa muito no preço de se criar o filho, as pessoas chegam a fazer conta pensando no nascimento da criança, é engraçado como hoje em dia a vida tem valor em dinheiro, mas e a perda dela?E o valor da morte?Quem paga?Quanto se sofre?Será que se sofre em euro, dólar, real, peso?
Mas e então:"Nas garras da águia, nas asas da pomba, em poucas palavras, no silêncio total, no olho do furacão, na ilha da fantasia: quanto vale a vida?"
Valor?Quantia?Sinceramente não tem nada no mundo que pague, o problema é que todos nós pagaremos com a língua pelo longo tempo, que está longe de ter acabado, sem entender o notório, sem entender que toda e qualquer vida é única e insubstituível.
Aaaaah...O valor da vida?Não é desse mundo daqui, nada material paga,
nada paga.Imensurável, simples assim.



Ps.: Nesse clima quero divulgar esse site, que é um iniciativa muito legal de doar palavras boas aos pacientes de câncer da instituição.Achei muito interessante, muito bom, do bem e senti que deveria repassar essa idéia.
Espero que gostem e ajuda, afinal não custa nada alémd e boa vontade e intenção.=)

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Reflexo real.


_Olha, eu tenho que agradecer por tudo que fez comigo.Você foi realmente como um anjo, que apareceu quando eu mais precisava.Identidade, eu já não tinha e a depressão era questão de dar apenas mais um passo.É triste, eu sei, mas eu já estava caminhando para esse fim a muito tempo e se você não tivesse aparecido, hoje eu estaria lá sozinha e alimentando os monstros da minha cabeça e os medos do meu coração.Seria apenas eu, o escuro e a depressão.Mas você me trouxe luz, muito obrigada , por tudo.
_Agradeça a você mesma, tudo que conquistou foi você mesma se não fosse você eu não poderia ter feito nadaTodas as perguntas que você se fazia, tu mesmo tinhas a resposta, os conselhos, o conforto.Eu só apareci para dizer o que você mesma queria, mas não tinha coragem.Acredite, não sou anjo nenhum.
_Claro que é!Você me fez descobrir o amor, aquele verdadeiro que se tem pelas pessoas independente do sexo, de interesses externos.Não é amor entre homem e mulher, mas sim o mais puro aquele que devia unir todos os seres humanos, aquele que nos torna irmãos.Será que não percebe tudo que fez por mim?Será que não enxerga o quanto você me mudou?Sempre pensei que um grande amor, um namorado fosse fazer tudo isso por mim.Mas vindo de uma menina assim tão simples, que chegou como se realmente me conhecesse desde sempre.E foi sem perceber se transformando na minha maior força, na minha maior segurança,torna tudo tão diferentemente especial.Será que agora, entende?
_Minha flor...Acredite você fez tudo sozinha, só precisou de mim por que sentia necessidade de ouvir o que queria da boca de outra pessoa.Mas uma coisa eu eu te digo do meu coração,hoje mais do nunca somos uma só.Acho que tudo que aconteceu entre nós foi para nos mostrar o quanto uma precisa da outra, e principalmente, foi para te mostrar que pode confiar em si mesma.Agora não precisa mais ter medo, viu só!?Depois de tanto tempo acho que agora acredita que eu não te mordo, nem te faço passar vergonha...
_Medo de você?Você é um anjo que Deus me deu quando mais precisei.Você veio chegando aos pouquinhos, mas eu nunca...nunca tive vergonha de você.Afinal, como poderia sentir vergonha de uma pessoa tão especial como você?
_Olhe aqui.-disse ela, levando o espelho até que eu pudesse ver meu rosto.
_Tem certeza de que nunca sentiu medo ou vergonha?Será que aos 11 anos não teve vergonha de mim, quando perdeu aquele nosso lindo cabelo cacheado, e vivia pedindo a mamãe para alisar?Será que aos 13 anos não teve medo de mim quando não aceitou entrar na olimpíadas de matemática?Se você não se lembra, eu me lembro.Me lembro de muitas vezes ter sido deixada de lado, para você poder me encontrar naquilo que as pessoas queriam que você fosse.Por que você sempre me procurou nos outros?Engraçado como estive aqui o tempo todo, mas sem perceber você mesma me trancava em um lugar tão vazio e escuro que eu só aparecia quando suas lágrimas escorriam, é aí que eu mostrava o que estava sentindo.É aí, que te mostrava a minha dor.-enquanto ela desabafava, minhas lágrimas começavam a rolar, aliás minhas não,nossas...nem sei mais.
_Será que agora entende por que digo que tem que agradecer à você?Tudo que eu fiz foi tudo que você podia ter feito a vida inteira, se tivesse me deixado livre, se tivesse tido orgulho de mim.Mas não guardo nenhum rancor, eu sei o que você passou e te lembro que sou a única pessoa no mundo que pode saber exatamente como é ser você.Mesmo apesar de não ter me deixado ter sido eu.Muito pelo contrário, eu tenho orgulho de você, tenho orgulho por você, pela mulher que nos tornamos.Minha vida se resume no que passei com você.Só peço que nos deixe sermos nós mesmas, será que não percebe o quanto está cansada de tentar ser um protótipo ideal?Será que não enxerga o quanto eu estou cansada de ficar trancada sozinha, e ver você passando por tudo sem me deixar fazer nada?Acreditar em si mesma, acreditar no nosso potencial é muito importante, sei que não se pode estar por cima o tempo inteiro, mas saber que pode contar comigo e com quem te ama de verdade é o que vale.Limpe o rosto e sorria estamos de volta para o mundo ver.Quero que todos saibam que Ana Liz está de volta, depois de 18 anos.Nunca se esqueça de mim, de quem você é.E jamais tenha medo de nós, muito menos vergonha.Quem te ama sempre irá te entender ou ao menos respeitar.Eu sempre te amei e mesmo depois de tudo não estou aqui de braços abertos pronta para nos fazermos felizes de verdade?Agora solte nossos cachos e seja feliz.
Me peguei sorrindo sozinha na frente do espelho.Me vi de cabelo solto e com um brilho novo no olhar, dessa vez eu vim para ficar, me deixar de lado por tanto tempo só em fez acordar mais tarde e com mais vontade de viver, ser e acontecer.
_Ana Liz?-minha mãe me chamou baixinho.
_Sim mãe.
_Está melhor?-disse, preocupada, entrando no quarto.
Apenas sorri e a abracei forte.Dessa vez a senti como nunca tinha sentido-a antes.Ela deixou uma lágrima escapulir, agora eu sabia que poderia ter uma relação diferente e verdadeira com ela.
Finalmente me sinto em casa.




Ps.:Me desculpem por ter escrito de maaais, de novo.Mas esse faz parte daqueles posts que não consigo conter as palavras.=X
Espero que continuem lendo e comentando.=))
Ps².:Bom de ler ouvindo: The voice within-Christina Aguilera

terça-feira, 8 de junho de 2010

A elegância do conteúdo.

De ferramentas tecnológicas, qualquer um pode dispor, mas a cereja do bolo chama-se conteúdo. É o que todos buscam freneticamente: vossa majestade, o conteúdo.

Mas onde ele se esconde?

Dentro das pessoas. De algumas delas.

Fico me perguntando como é que vai ser daqui a um tempo, caso não se mantenha o já parco vínculo familiar com a literatura, caso não se dê mais valor a uma educação cultural, caso todos sigam se comunicando com abreviaturas e sem conseguir concluir um raciocínio. De geração para geração, diminui-se o acesso ao conhecimento histórico, artístico e filosófico. A overdose de informação faz parecer que sabemos tudo, o que é uma ilusão, sabemos muito pouco, e nossos filhos saberão menos ainda. Quem irá optar por ser professor não tendo local decente para trabalhar, nem salário condizente com o ofício, nem respeito suficiente por parte dos alunos? Os minimamente qualificados irão ganhar a vida de outra forma que não numa sala de aula. E sem uma orientação pedagógica de nível e sem informação de categoria, que realmente embase a formação de um ser humano, só o que restará é a vulgaridade e a superficialidade, que já reinam, aliás.

Sei que é uma visão catastrofista e que sempre haverá uma elite intelectual, mas o que deveríamos buscar é justamente a ampliação dessa elite para uma maioria intelectual. A palavra assusta, mas entenda-se como intelectual a atividade pensante, apenas isso, sem rebuscamento.

O fato é que nos tornamos uma sociedade muito irresponsável, que está falhando na transmissão de elegância. Pensar é elegante, ter conhecimento é elegante, ler é elegante, e essa elegância deveria estar ao alcance de qualquer pessoa. Outro dia conversava com um taxista que tinha uma ideia muito clara dos problemas do país, e que falava sobre isso num português correto e sem se valer de palavrões ou comentários grosseiros, e sim com argumentos e com tranquilidade, sem querer convencer a mim nem a ninguém sobre o que pensava, apenas estava dando sua opinião de forma cordial. Um sujeito educado, que dirigia de forma igualmente educada. Morri e reencarnei na Suíça, pensei.

Isso me fez lembrar de um livro excelente chamado A Elegância do Ouriço, de Muriel Barbery, que conta a história de uma zeladora de um prédio sofisticado de Paris. Ela, com sua aparência tosca e exercendo um trabalho depreciado, era mais inteligente e culta do que a maioria esnobe que morava no edifício a que servia. Mas, como temia perder o emprego caso demonstrasse sua erudição, oferecia aos patrões a ignorância que esperavam dela, inclusive falando errado de propósito, para que todos os inquilinos ficassem tranquilos - cada um no seu papel.

A personagem não só tinha uma mente elegante, como possuía também a elegância de não humilhar seus "superiores", que nada mais eram do que medíocres com dinheiro.

A economia do Brasil vai bem, dizem. Mas pouco valerá se formos uma nação de medíocres com dinheiro.


Martha Medeiros.


[Nesse feriado viajei, desculpem o sumiço.E obrigada pelos comentários.*__*

Responderei todos aos pouquinhos.Voltem seeeempre.=)) ]