domingo, 9 de dezembro de 2012

Tempo de mudança.


Santa Bárbara.Santa dos ventos e tempestades.Gosto mesmo é de encará-la como Inhasã.Paro fecho os olhos e sinto.Sinto todos os ventos ventando dentro de mim, sinto o vento de fora bagunçando o cabelo e refrescandoa pele.A vida é um eterno movimento, é um caminhar que não se sabe ao certo de onde vem nem para onde se vai.Incógnitas.Num fluxo inconstante de relações, expriências e  vida eu deixei de sentir algumas coisas para voltar a sentir outras.Sentir que as raízes mais uma vez se fortificam, mas uma vez vão entrando na terra e fincando no solo.Não é que minha alma esteja presa, é apenas o reencontro comigo mesma.Há um ano e meio mais ou menos fui fazendo esse caminho de retorno, hoje o repito de forma diferente, talvez nem seja o mesmo caminho mas está me levando ao mesmo lugar que pode não ser o exatamente o de antes mas que continua sendo o mesmo: eu.Nunca tive medo de vento nem ventania.Nunca gostei de ar condicionado no carro, abro a janela e deixo ventar, deixo a natureza, o movimento da vida entrar em contato, se fazer presente.Na vida?Pode ventar...deixa bagunçar...deixa balançar as folhas para que a secas caiam, deixa também cair o frutos podres, deixa ver até onde tua raíz te mantém firme.Deixa a tempestade vir e o tempo fechar.Fica na janela vendo o chuva cair brutalmente, tão forte que chega a doer.Tempestade de destrói, que devasta mas que abre espaço novos caminhos, novas vidas, novas perspectivas.Tempestade que limpa a alma, a mente, os corações e os corpos.Ultimamente tenho pensado muito na palavra "deixa".E vinha sentindo muito a necessidade de me deixar levar.Hoje, não tenho tanto pois não consigo mais me prender diante da vida, das possibilidades.Eu simplesmente deixo, é maior do que eu, mais forte.Pensando melhor...Talvez não...Talvez eu deixe por que isso sou eu, não é mais forte nem maior, tem a força e intensidade eu carrego em mim, teem minha cor, minha luz minha dimensão...Quem sabe?Uma coisa é certa; não se pode fugir de si mesmo, não se pode prender-se de si mesmo.É como o tempo: quanto mais se corre mais ele vem atrás.Por falar em tempo espero que Kariós se apresente um dia desses e faça companhia a Aión que vem caminhando comigo a um bom tempo...Tempo.Olha ele ai de novo!Tempo que escapa, que se vive ou que se conta.Uma coisa linda é se pensar num tempo da poesia, como assim o vi pelos olhos de outro...E é nesse tempo que espero que as coisas aconteçam à você, como aconteçeram para mim.Enquanto isso vou vivendo as tempestades e ventanias, agredeço pela horna em meu nome e pelo nascimento perto de uma data tão importante.Dia 04/12 foi dia da rainha dos ventos deixo entre outras coisas um enrome agradecimento e adimiração pelo que representa e pela força que tem.Pois, não tem como eu não pensar em mudança, pensar em mim sem me lembrar dela.