terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Folhetim.

"Mas na manhã seguinte não conte até vinte, te afasta de mim.
Pois já não vales nada és página virada, descartada do meu folhetim."


Por que não querer nada eterno agora, não significa querer algo vazio, vulgar.Já disse e repito:Se for fulgás que vá e não leve nada de mim, mas se for algo a mais pode vir do jeito que for e ir como tiver que ser.

E será assim apartir de agora.

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Chega.

Parem de reclamar das suas vidas medíocres, que vocês mesmos a fazem assim.--'
Por que será que deixamos crescer em nós idéias tão ridiculas e deturpadas de felicidade?
Por que perder um namorado vale sua vida, seu amor próprio e tudo que só você pode construir?
Por que atirar pedras em tudo e todos, só porque não nos queixamos o tempo inteiro?
Por que reclamar de Deus se é você que não quer ser ajudado?
Por que vale mais a pena remoer os pequenos problemas o tranformando-os em dificuldades gigantescas a serem superadas, ao invés de buscarmos forças nas pequenas alegrias?
Para mim é nítida a forma como as pessoas se deixam levar por coisas que poderiam ser simples se não fosse o hábito de dramatizar tudo.


Chega!