segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

sábado, 27 de dezembro de 2008

Algo universal...Algo espiritual...

Quando restava apenas o último suspiro do Natal
Ela parecebeu que em meio a tantas pessoas tristes,
confusas, felizes ,preocupadas...
Ela já não sabia mas onde o tal Natal estava...
Mas foi quando tomou a decisão que tinha que tomar...
Foi quando ela ouviu as vozes profundas e frimes ...
Que ela se libertou da corrente que a prendia num mundo
que não era dela e que não a deixava ser quem ela era.
Que simplesmente a esgotou e a sufocou...
Quando essa corrente foi quebrada
teve a sensação mais aliviante da sua vida.
Sensação indescritível.
Se sentiu tão bem que voltou a enxergar o Natal.
Enxergar não..
Pois percebeu que aquela consepção que ouvia desde sempre
não batia com o que vivia naquele momento.
Ela que tentou enxergar o Natal nas coisas...
Nas formas mais simples de vida...
E memso assim não a satisfez
Essa menina que já tinha se desligado dessa busca
decsobriu ao acasoque o Natal,
essa magia que as crianças vêem muitas vezes,
é um estado de espírito.
É abstrato de mais
para pessoas fechadas perecberem...
Logo ela viu que o Natal não era o Papai Noel
e nem a trcoa de presentes
nem as músicas natalinas...
Ela viu que o Natal de verdade era o sentimento...
Era a lágrima quando se ouve aquele música
que te lembra alguém de uma forma boa.
É a alegria de uma criança ao ver aquelas luzes..
Ao ver que as pessoas estão diferentes
ao perceberem que existem ainda pessoas
que se preucupam com ela...
É sentir que o Natal não é de uma pessoa,
uma família ou de um ser superior...
Mas sim universal!
Ele pode estar em todos
Pode ser sentido e finalmente compreendido sem explicações...
Foi ai nesse dia que aquela menina
que já estva meio perdida nisso tudo
teve mais bela sensação de dever cumprido
e de reencontro com o verdadeiro Natal.
Universal...Espiritual.

Namastê!

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Você é do que faz ou do que tanto faz?

"Nenhuma verdade me machuca
Nenhum motivo me corrói
Até se eu ficar
Só na vontade, já não dói
Nenhuma doutrina me convence
Nenhuma resposta me satisfaz
Nem mesmo o tédio me surpreende mais"


O mal do mundo..
O mal do povo..
Comodismo,praga.
Ninguém sente o mal que faz.
Ninguém enxerga.
Quando você passa a achar tudo muito natural
é por que você já está no meio.
Se tornar insensível para os problemas do mundo
não é um bom jeito pra se sentir uma "fortaleza".
Pois é aí que você se torna conivente.
Não é ser falso e fazer um escarcéu por "nada".
É apenas enxergar as coisas como um todo
e não como um fato solto,não um momento.
É saber que pequenos fatos
são os primeiros passos de um caminho,
que você?
Vai achar tão natural quanto a "pequena" coisa.
Ou então vai dizer que não é isso...
É outar coisa...
Que as pessoas adoram rotular..
E que pra piorar foi só naquele dia..
ESQUECE!
Uma coisa só acontece quando é pra acontecer.
Seja por que querem,ou pro que deve.
Assuma sua escolha,
mas não diga que não vai seguir o caminho,
aliás se você começou por que quis,
por que então vai voltar atrás?
Atrava-se a ter ideias,objetivos e conceitos.
Pois são eles que vão te dar suporte para as fases dificeis,
são eles que vão ajudar nas escolhas...
Lute por uma idéia e não por um momento.
Fingir não enxergar ou lutar para ter um visão bem melhor?


"Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma
A vida não para.
Enquanto o tempo acelera e pede pressa
Eu me recuso faço hora vou na valsa
A vida e tão rara.
Enquanto todo mundo espera a cura do mal
E a loucura finge que isso tudo é normal
Eu finjo ter paciência
O mundo vai girando cada vez mais veloz
A gente espera do mundo e o mundo espera de nós"



E aí,do que faz ou tanto faz?