quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Como atravessar um ponte obscura?

"Quando você foi embora
Fez-se noite em meu viver
Forte eu sou mas não tem jeito,
Hoje eu tenho que chorar
Minha casa não é minha,
E nem é meu este lugar
Estou só e não resisto,
Muito tenho prá falar

Solto a voz nas estradas,
Já não quero parar
Meu caminho é de pedras,
Como posso sonhar
Sonho feito de brisa,
Vento vem terminar
Vou fechar o meu pranto,
Vou querer me matar"



Não..Eu não sei como eu me sinto.
A dor só vem quando eu lembro de você
e penso no futuro...
Esse futuro que me amedronta,
afinal o que será de mim
sem seu jeito "muleque"?
Era maninho pra lá maninha pra cá.
Hoje só resta os decendentes..
Só restou frutos desse seu amor..
da sua força...
do seu saber....
do seu viver...
do seu sorrir.
O mais forte enfraqueceu,
e hoje o vento levou você de mim.
O maninho "sacapaquinho" deixou seu corpo...
Foi viver sua vida em outros campos..
em outros mundos..
Quando você voltar espero que continue como você é,
só que agora num processo mais intenso
de aprendizagem e crescimento.
Se o caminho é a luz,
como pode você partir e me deixar no escuro?
Não quetsiono Deus,pois este sabe o que faz.
Eu questiono a mim como vou viver
sem olhar pra trás?
E a vovó quem por tanto tempo te amou...
Era o casal mais bonito
mas agora esse amor no tempo ficou.
Afinal 58 anos de casamento...64 de união
muito mais que uma vida.
Vida e morte,mas nada em vão.
Vou tentar não me esquecer das lições
que tinha a ensinar, hoje eu sei que vou crescer
mas sem saber de onde tu me olharás.
Esse seu olhar pequenininho que fazia esforço para arregalar.
Anteontem eu o vi tão fechadinho,mas q nucn amais voltará.
Não vou ficar aqui em lamentando
sua imagem não vai morrer,
o snetiemnto que todos temos é o que me faz aquecer.
Eu não tive tempo de dizer mas eu quero que saiba
NEOQEAV,pra nunca esquecer.

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

O tempo....

Um menina pensava no que fazia e hoje não faz mais
ela ,sentada na jenela,
olhava para paisagem e via seu passado.
O sentimento de nostalgia e perde se confundem,
a diexando triste e até memso suja por dentro.
Sentindo algo estranho e complicado.
Pois pensava no que estava vivendo naqueles dias,
naquele momento o que era a vida dela.
Havia momentos felizes,novos amigos ótimos,
mas mesmo assim tudo parecia tão vazio.
Os sorrisos as risadas e bobeiras...
sente que ficaram estáticos ali naquele momento
e não viraram lembranças, aquelas lembranças
como as que via passando na sua janela.
Não é que fosse melhor,
era apenas diferente,era outra vida.
Parece que naquela vida ela era mais ela.
Sentia que naqueles tempos ela cersceu muito
com pessoas que sabe que não vai esquecer
muito menos abandonar.
Ali naqueles tempos,
sabia que era tudo que queria ser,
mas agora o tempo bate na sua porta
e precisa fechar a janela,
o despertador já tocou é hora de seguir a vida.
Aprennder a olhar pra frente,
tentar trazer aquela vontade de viver do passado, ao presente.
E unir tudo de nostálgico a tudo de extasiante do agora.
Mas eu agora não sei se era um janela...
Nem sei se era ELA.
Acho que via o espelho...
Me fazendo relembrar de tudo que foi vivido,
me pressionando a tomar uma atitude,
num estalar de instante,
me libertando do findado,
deixando ilimitada para um novo futuro.


Beijos.
Boa noite.